20.dez.2012

10 coisas que aprendi sendo mãe em tempo integral

Ser mãe em tempo integral é MUITO BOM! Poder acompanhar o crescimento e o desenvolvimento do nosso filho dia após dia é maravilhoso. Muitas mães optam por ficar em casa e dedicar-se “25” horas por dia à maternidade! São escolhas pessoais, cada mãe tem seus motivos para fazê-las.

Nossas escolhas nos ensinam lições para a vida toda. Como mãe em tempo integral aprendi muito e hoje compartilho com vocês minha experiência nesses 2 anos e 5 meses de vida de meu filho:

  • A vida é feita de ESCOLHAS! Podemos ser o que quisermos ser, basta acreditarmos e corrermos atrás! Nem sempre será como imaginamos, mas só saberemos quando fizermos a escolha e tentarmos.
  • Deixar a profissão e dedicar-se exclusivamente à maternidade significa abrir mão de muitas coisas. Temos de ter essa consciência, para, depois, não cobrarmos dos outros – e muito menos dos filhos – por algo que fomos nós quem escolhemos.
  • Ao acordar, lave o rosto, se puder tome um banho, tire o pijama, fique LINDA e comece seu dia. Não é porque somos donas de casa e mães que temos que passar o dia todo de pijama e cabelo preso.
  • Ficar em casa exige disciplina, temos que nos organizar para dar conta de tudo que nos propusermos a fazer. Faça planilhas para ordenar a rotina, senão o que parecia um sonho, se torna um pesadelo e bagunça;
  • A prioridade é o filho. Então, dedique-se de verdade. Brinque muito com ele, estimule-o, deixe-o experimentar novas situações e desenvolver suas habilidades. Informe-se através de blogs e livros para enriquecer essa experiência.
  • Não existe mãe perfeita, mas podemos ser melhores a cada dia. Mães são superpoderosas, mas são humanas: perdem a paciência e erram de vez em quando. Se você errou com seu filho, corrija-se para não acontecer outra vez. A gente erra tentando acertar.
  • Reserve um tempo para você. Faça sua caminhada ou ginástica, leia, assista a seu programa favorito ou estude uma língua. Não se isole do mundo, afinal você vai continuar convivendo com pessoas e precisa ser uma mulher bem informada e interessante.
  • Lembre-se que a questão financeira muda muito. Se antes você tinha independência, seu salário, seu cartão, agora precisa discutir seus gastos pessoais com o marido. E mais: possivelmente o orçamento familiar ficará mais apertado, o que causa mais tensão e desacertos.
  • Sempre haverá alguém para colocar caraminholas na sua cabeça, mas filtre e viva feliz com sua escolha. Nem sempre teremos a mesma opinião que amigos e família, mas qual o problema? A vida não é uma unanimidade.
  • Tenha presente sempre que esta escolha foi feita para uma fase da vida. Tudo pode ser alterado. Os filhos crescem, a gente muda, surgem novas necessidades e oportunidades. De repente você quer voltar a estudar ou trabalhar fora. Quem sabe em um turno? Ou nos dois? Será uma nova escolha – outra vez.

Beijos, Angi

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!