25.out.2017

5 alimentos que devem ser PROIBIDOS (evitados) até os 2 anos de idade!

Oi oi gurias, hoje tem mais um post da Fabiola Frezza Andriola, que é NUTRICIONISTA e trará conteúdo de qualidade sobre alimentação infantil, principalmente sobre introdução alimentar e alimentação saudável!

Ah, ela também tem um blog o www.introducaoalimentar.blogspot.com.br .Curtam a fan page da Fabi AQUI e o insta da Fabi AQUI, que tem muuuuitas dicas legais todos os dias!

Beijos Angi

Oi Mamães,

Vou listar aqui alguns alimentos que não precisam (e não devem) ser oferecidos ao bebê até pelo menos até os 2 anos de idade. Muitas vezes parece óbvio que alguns alimentos façam parte do cardápio do bebê, mas quando analisamos um pouquinho mais a fundo cada um deles, vemos nitidamente que não é um alimento adequado para bebês (e, na maioria deles, nem para nós adultos).

jelleke-vanooteghem-381416

Photo by Jelleke Vanooteghem on Unsplash

1. Petit Suisse – Os famosos “inhos” que estamos tão acostumados a ver os bebês comerem desde o início de sua introdução alimentar. Sei que nos venderam a idéia que “vale por um bifinho”, mas vou tentar te convencer a não oferecer para seu filho. Se você ler a lista de ingredientes, vai perceber que a “base” é leite e açúcar! Além de todos os corantes e conservantes que tem ali. O próprio fabricante quando questionado, orienta o consumo para crianças maiores de 4 ANOS. Só para relembrar, até um ano não se recomenda oferecer leite de vaca e nem derivados para o bebê por aumentar as chances de anemia! E açúcar, esse deve ser evitado até os 2 anos pelo menos.

2. Gelatina – Resumindo… esse “produto alimentício”, por que de alimento ele não tem nada né?!,  é 100% açúcar e corante artificial. Zero nutrientes. Calorias vazias que não são chamadas. Então, para que oferecer para um bebê?! Ainda mais que normalmente entra como opção de “sobremesas”, e nessa faixa etária temos que ter o cuidado redobrado com a “recompensa” com doces! Usar e expressão,  “se comer toda a comidinha ganhar a sobremesa”, ensinamos sutilmente a esse bebê que comer a “comida de verdade” é um sacrifício, pois depois vem a grande recompensa e prazer do doce. Você até pode fazer alguma receita com gelatina incolor e suco natural de fruta para oferecer a seu bebê, mas  que essa faça parte de um lanche.

3. Bolacha Maria ou Maisena – A recomendação atual é que NENHUMA fruta deve ser evitada, podendo ser oferecidas desde os 6 meses de idade. Moramos em um país tropical, com uma variedade enorme de frutas, deliciosas e saborosas. Por que então oferecer mesmo um bolacha, que seus ingredientes principais são, farinha de trigo refinada, açúcar e gordura vegetal hidrogenada? Não vamos estimular esse hábito de comer “biscoitos e bolachas” de lanche. Vamos fugir dos industrializados.A obesidade está aumentando em níveis alarmantes, e o hábito alimentar começa desde muito cedo! Mas você pode me dizer que a bolachinha é prática. E eu te respondo… mais prática que uma banana? Ou se você quer mesmo um biscoito, procure opções no mercado mais saudáveis, com menos ingredientes, sem açúcar (e sem adoçantes) e sem gordura hidrogenada.

4. Sucos de caixinha e em pó – Muitos adultos ainda tem a doce ilusão que estão tomando ou oferecendo a seu filho um “suco de frutas”. Mas na verdade, a maioria deles que encontramos no mercado são muito mais água com açúcar do que Suco. A recomendação atual é de até pelo menos o primeiro ano de idade não oferecer nenhum tipo de suco ao bebê (mesmo os naturais, feito da pura fruta, espremidos na hora). Devemos estimular o consumo de água, pura! Se for oferecer suco, deixe para dias esporádicos, ofereça pouca quantidade e diluído em água.

5. Mingau industrializado, Farinhas láctea e Engrossantes – Antigamente a recomendação era oferecer esse tipo de “complemento” a praticamente todos os bebês, não vamos esquecer que os tempos mudaram e que as orientações atuais também. O nosso problema de saúde mundial está passando da desnutrição para a obesidade, e uma das maiores causas do excesso de peso é o açúcar! Para simplificar tudo é só pensar que os bebês precisam comer “comida de verdade”, ou seja, frutas, legumes, vegetais, carnes, ovos, peixes, raízes, leite (materno se possível). Alimentos muito “embalados” e industrializados são cheios de aditivos. Mesmo algumas marcas utilizando em seus rótulos a expressão “sem açúcar”, se sabe que eles colocam o que chamamos de “açúcar escondido”, observe se não tem um ingrediente chamado de maltodextrina.  

beijos

Fabíola

Nutri_Fabi

Comente pelo Facebook

Leia mais!