11.jun.2013

A partida!

Sempre fui super caseira, mas sempre estive aberta a novas oportunidades. Nunca deixei de fazer algo por medo do novo. E assim fui me tornando meio cigana. Hoje em dia eu adoro viajar, conhecer novas culturas, viver um estilo de vida diferente do meu, conhecer gente nova e aprender coisas diferentes!
Gosto de viver novas histórias, mas mudar de casa, às vezes não é tão simples. É difícil deixar para trás uma casa, uma rotina, nossa “concha”. Mesmo quando a mudança é dentro da cidade em que sempre moramos, trocar só de bairro pode ser uma grande mudança, afinal não iremos à mesma padaria, nem teremos os mesmos vizinhos e às vezes mudamos o filho da escolinha. Tudo passa a ser diferente…
Desde que casei já mudei de casa 7 vezes, e de cidade foram 4. As últimas mudanças foram as mais “radicais”, pois mudamos de cidade, estado e região no Pais!
Despedir-se é doloroso; deixar para trás família, amigos, hábitos e recomeçar uma nova vida, é para quem tem coragem! Em todas as mudanças aprendo algo novo, me transformo, amadureço, fico mais feliz por ter vivido aquela experiência .
Uma lição que aprendi é que temos que aproveitar o momento, não reclamar de coisas que não estão muito boas, e sim fazer o que pudermos para mudar a situação. Devemos nos permitir viver essa experiência nova, em cada lugar, em cada casa, em cada cidade… Quanto maior a entrega, maior o aprendizado!
Na mudança para Fortaleza, fugimos do frio e dos pitacos alheios. Saímos de perto da família, em Porto Alegre. Foi um ano longe de todos, sem nenhuma visita à nossa cidade natal, o que eu pensei que seria ótimo, pois sentia que a intromissão de meus parentes na nossa vida às vezes me incomodava. Mas a saudade bateu e foi ela que me fez voltar.
Essa última mudança, de volta para casa, foi especial! Saí daqui com o Antônio “pequeno” e ele voltou um guri, falando quase tudo e mais independente. Dessa vez ,apesar do frio de junho, ele está curtindo muito a mudança. Adorou reencontrar seus brinquedos, quando abrimos as caixas; ganhou quarto novo e está muito feliz, pois tem convivido muito mais com os primos, avós, tias, dinda! A adaptação à nova escola está tranqüila e ele já tem muitos amiguinhos. O engraçado é quando ele quer passear e pede para ir à praia.Percebemos então que ele tem uma boa lembrança de Fortaleza.
E hoje estamos entre caixas e mais caixas, que ainda continuam por aqui, só esperando eu me adaptar ao clima, à nova rotina, a ter a família sempre perto, enfim, à nova vida! Se entregar de corpo alma por inteira é necessário, e cá estamos nós, muitas expectativas, abertos ao novo, assim tudo que vier será especial!
Beijos
Angi

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!