28.out.2011

Abrindo o meu coração…

Hoje é dia de abrir o coração, dia de colocar para fora o que tem me incomodado muito ultimamente. E isso não acontece só na blogosfera, tem acontecido na mundo real também. Não levem esse desabafo para o lado pessoal, está parecendo aqueles dias que a professora dá um xixi na turma toda porque 2 ou 3 alunos estavam incomodando, lembram? Eu mesma já levei esses sermões sem precisar, mas sabe, a gente sempre aprende alguma coisa nos sermões, não é mesmo?
Eu sempre fui de falar tudo o que pensava, claro que tenho meus filtros, mas acho que quando a pessoa fala o que quer, ela ouve o que não quer muitas vezes, é inevitável. Não acho que ninguém é o senhor da razão, muitas vezes falei algo, e depois mudei de opinião, porque a gente evolui, cresce, amadurece, então vivemos em eterna transformação. Como mães, eu já mudei de opinião 19287649374659030 milhões de vezes. E faz parte, ainda vou mudar muitas vezes mais.
Na minha infância e adolescência eu não gostava das aulas de português, nem preciso falar que Educação Física era a minha aula preferida, e ainda perguntava aos professores por que era só 2 vezes na semana.hahaha As minhas colegas que odiavam EF me xingavam muito. Eu adorava escrever poesias, escrever músicas, e me encontrei na literatura. Com o tempo, parei de escrever poesias, e com o blog eu achei minha inspiração. Ser mãe, aquele meu sonho de guria, se tornou realidade e me mudou completamente. O blog nasceu da vontade de guardar histórias sobre o Antônio, da vida dele, dicas de coisas que funcionaram com a gente. Só que com o tempo, eu vi que não queria mais falar só dele, primeiro porque daqui um tempo ele pode não gostar disso, um diário da vida dele on line, segundo porque não gosto de fazer comparações dos filhos, cada criança é uma criança e não quero mesmo expor tanto ele, e terceiro porque desabafar sobre a maternidade e suas transformações me faz muto feliz!!!
Naquela pesquisa que fiz aqui no blog eu pudi perceber isso, que quase 90% das pessoas que participaram gostam mesmo quando falo sobre a maternidade, seja para rir ou chorar, seja para se identificar e saber que não está só nesse mundo materno, cheio de ansiedades, dúvidas, alegrias e AMOR. Também tive retorno positivo das dicas de alimentação, de saúde, de produtos, pois são sempre úteis. 
Essa pesquisa foi muito, muuuuito interessante, pois tive um retorno que não temos sempre, de muitas mães e pais que leem, mas não comentam, ou porque não tem tempo, ou porque são leitores tímidos mesmo.
E teve um comentário que disse tudo, eu fiquei muito feliz e emocionada, ainda mais hoje. Vou colocar aqui partes dele, sem expor quem escreveu,(se a pessoa ler seu comentário e quiser que eu tire, só mandar email).
“Angi,seu blog é muito interessante, criativo e informativo… sinceramente, acho que vc aborda todos os aspectos da maternidade de forma bem esclarecedora… aspectos emocionais ou psicológicos de ser mãe; as vezes percebo pessoas que não estão muito bem no seu papel de mãe, mas não tem coragem de manifestar isso, porque pode parecer egoísta demais ou causar sentimentos de culpa… acredito que deva se falar mais sobre isso, para que as pessoas se identifiquem e se sintam menos culpadas…”
Tá, estou escrevendo e não falei exatamente o que me incomoda, eu sei. Eu quis falar um pouco mais sobre mim, o que sempre faço questão de falar aqui, pois sou fiel a mim mesma, meus princípios e valores.
Venho lendo em alguns blogs que a blogosfera não é mais a mesma, que tem muita propaganda, sorteios… Agora alguém me responde, por favor, que eu não entendo mesmo:  O que continua igual depois de um tempo? Tudo muda o tempo todo no mundo, já dizia Lulu Santos. 
Eu sou relativamente nova na blogosfera, quando eu entrei já tinha tudo isso em alguns blogs, mães que ganham produtos para testar. Ou produtos, ou dinheiro em troca de posts publieditoriais (post que as empresas mandam prontos e as mães postam). Assim como blogs que falam de produtos e não ganham nada em troca.
Não julgo nenhum tipo de blog, nem de mãe blogueira. Acho tão simples, se gosta lê, segue, enfim, e se não gosta, não lê, pronto.
Não entendo quem julga as outras pessoas, ou quem faça post criticando…NÃO ENTENDO!
Acho que cada mãe sabe onde aperta seus calos, cada mãe tem seus princípios e que seja fiel a ela mesma, e que assim seja.
Eu sou muito fiel a meus princípios, quando recebo propostas de parcerias ou posts, eu avalio, se gosto, faço questão de experimentar os produtos e colocar as minhas palavras no texto, e falar a verdade, não minto para agradar a empresa, faço questão de ser sincera com quem me lê. Tudo que falo é porque gosto, ou quando não gosto também falo, podem procurar nos posts.
E fico triste quando leio pessoas que são mães, que sabem que vida de mãe não é fácil,julgando outras mães por isso ou aquilo outro.
“Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropece e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás me julgar. Cada um tem sua própria histórias. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que els tiveram que trilhar na vida. 
(Clarice Lispector)
Agora é a hora que a profe pede desculpa para os alunos que não precisavam ouvir o sermão, e deseja um ótimo dia para todos!
Eu quero mais é ser feliz!!!!!
Beijos
Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!