28.abr.2014

Acne na gestação!

acnegravidez

A acne é uma dermatose que se desenvolve quando os poros da nossa pele ficam obstruídos. Essa obstrução é causada pelo excesso de sebo, células mortas e bactérias nos folículos pilosebáceos, o que acaba provocando o surgimento de cravos, espinhas, cistos, caroços e cicatrizes.

Nosso corpo produz mais sebo quando há aumento da atividade hormonal. É por isso que a acne é mais frequente em adolescentes e pessoas com distúrbios hormonais. Mulheres também podem ter acne no período menstrual, durante a gestação e na menopausa, devido à flutuação hormonal nesses períodos.

As áreas mais frequentemente acometidas são rosto, pescoço, busto, costas e ombros, nas quais a quantidade de glândulas sebáceas é maior.

Diagnóstico

O diagnóstico da acne acontece através de exame clínico feito pelo dermatologista, que irá analisar as lesões e avaliar o grau do quadro, que pode ser dividido em quatro estágios:

Acne Grau I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias, espinhas ou cistos.

Acne Grau II: cravos e espinhas pequenas – pequenas lesões inflamadas e pontos amarelos de pus, também chamados de pústulas.

Acne Grau III: cravos, espinhas pequenas e cistos – lesões mais profundas e dolorosas, avermelhadas e bem inflamadas.

Acne Grau IV: cravos, espinhas pequenas e cistos, que se comunicam causando inflamação mais grave e aspecto desfigurante. Este tipo de acne também é conhecido como acne conglobata.

Acne Grau V: surgimento súbito da acne com lesões graves, como cistos dolorosos que ulceram deixando grandes cicatrizes, acompanhado de sintomas gerais, como febre, mal estar e dor no corpo. É uma forma rara e mais comum no sexo masculino.

Tratamento

O tratamento da acne deve ser induvidualizado para cada paciente, dependendo do sexo, idade, condições associadas e, sobre tudo, do grau da acne.

Tratar a acne é importante para evitar marcas e cicatrizes no rosto e em outras regiões do corpo, além de melhorar a qualidade de vida. O grande desafio do tratamento da acne na gestação, é que a maioria das medicações usualmente utilizadas são contra-indicadas no período gestacional. Por isso, o dermatologista é o profissional indicado para prescrever a terapia mais adequada a cada caso.

Dentre os tratamentos tópicos utilizados durante a gravidez, estão fórmulas com eritromicina e clindamicina (antibióticos), bem como fórmulções a base de ácido azelaico – considerados tratamentos de categoria B* durante a gestação pela FDA (Food and Drug Association). Sabonetes à base de enxofre são permitidos e podem ser úteis no controle da oleosidade.

Prevenção

O aparecimento da acne irá depender da predisposição natural tanto para acumular sebo nos poros quanto para controlar os hormônios naturalmente. Para quem já possui algum tipo de acne, há alguns cuidados que podem ser empregados para que o quadro seja amenizado, dentre os quais:

* evitar o contato direto da pele com substâncias comedogênicas, como cosméticos e óleos.

* controlar o estresse.

* evitar alimentos muito calóricos

* evitar exposição solar intense e sempre utilizar filtro solar (oil free)

* não “apertar” ou “espremer” as espinhas.

* CATEGORIA B: Estudos em animais não demonstraram risco fetal, mas não há estudos controlados em mulheres grávidas; ou apresentaram algum efeito adverso em animais não confirmado em estudos bem controlados em gestantes humanas. Inclui várias classes de drogas de uso comum, como as penicilinas.

Futuras mamães, a gravidez é uma fase curta e essa mudança hormonal logo vai acabar. Então, relaxem e curtam bastante essa fase maravilhosa!

Abraço,

Dra. Letícia Pargendler Peres

Dermatologista – RQE 26256 – CREMERS 32812

Contato: [email protected]

Comente pelo Facebook

Leia mais!