19.fev.2015

Adaptação da criança na escola

Stock Photo

Imagem daqui.

No período que fui professora tive a oportunidade de participar de algumas “adaptações”. Nesse post falarei muito mais à partir do meu conhecimento empírico do que teórico. A adaptação é um momento delicado. As emoções estão à flor da pele para pais, filhos e também para a equipe escolar.  É um momento de descoberta, de crescimento, de fortalecimento de vínculos. Para mim, as palavras de ordem são: Segurança, sensibilidade, comunicação e paciência.

1. Segurança.  Não é clichê não, é verdade. Se a mãe não estiver tranquila, tão pouco o filho estará.  Você está segura?  Se for possível, visite a escola antes de matricular seu filho. Conheça e converse com a professora. Fale com outros pais de alunos. Se você confiar na instituição na qual seu filho irá estudar, o processo de adaptação será mais tranquilo.

2. Sensibilidade. Você lembra a sensação do primeiro dia no emprego novo? Aquele frio na barriga, aquele medinho. Crianças também sentem, não é manha.  Seja sensível aos sentimentos do seu filho e encoraje-o! Se você conseguir uma folguinha para acompanhar de perto o processo, perfeito! Também é interessante que a criança leve para a escola algum objeto no qual seja apegada (ursinho, travesseiro, paninho, etc).

3. Comunicação. Converse com seu filho! Muitas vezes a criança entra em completo desespero ao ser deixada na escola por achar que os pais não vão mais buscá-la. Então, dias antes de iniciar a adaptação fale para ela sobre a escola, conte como será, diga que você também foi quando era criança (vale mostrar uma foto de uniforme), diga que é normal sentir saudade mas que valerá a pena! Quando chegar o grande dia, não esqueça de olhar em seus olhos e falar com tranquilidade que logo virá buscá-la e que se precisar de qualquer coisa pode pedir para a professora. Sorria para seu filho! É um momento muito importante!

4. Paciência. Sim, algumas crianças vão chorar. Respire fundo e lembre-se da importância desse momento para seu filho, ele está crescendo. As crianças tem personalidades distintas e tempos diferentes para se acostumar com essa nova realidade. Se a escola permitir, entre um pouco na sala de aula de seu filho. Acalme-o. Não vale fugir quando ele estiver distraído, ok? Isso pode fazer com que ele se sinta inseguro e abandonado. Diga algo do tipo: Tchau filho! Eu te amo! Logo venho buscá-lo. Divirta-se! Ah, se seu filho se despedir de você com um sorrisão no rosto não precisa chorar viu?!

Coragem mamãe! Você consegue!

Cristine Flores, mãe do Cristóvão, Pedagoga, Especialista em Educação Infantil e Cursando Mestrado em Educação.

Comente pelo Facebook

Leia mais!