11.set.2017

Amamentar, um ato de amor? #ParaRefletir

Esses dias li uma frase que me fez refletir demais: “Amamentar não é um ato de amor!” E sabem, é a mais pura verdade!

Amamentar nem sempre é fácil, você precisa se informar, se empoderar mesmo. Quando o Antônio nasceu a pediatra disse que ele não estava ganhando peso e me indicou leite artificial! Eu mudei de pediatra, fui atras de informação e ele mamou até quando quis, com 1 ano e 6 meses! Aprendi que nem sempre podemos confiar na médica e que precisamos ir atras de informação especializada!

Caetano pegou o peito super bem e mamou até 1 ano e 11 meses, quando descobri que estava com um início de descolamento de placenta, e mesmo sabendo que podemos amamentar grávidas, eu sabia que não poderia correr esse risco e conversei com ele, ele que já estava mamando menos, logo desmamou e o descolamento foi absorvido pelo corpo!

Amamentar cansa, te suga, faz com que seu filho dependa única e exclusivamente de você e que por consequência, você abra mão de muitas coisas que gostaria de fazer, pelo seu bebê! Há quase 1 ano eu não durmo a noite toda, pois o Santi mama em livre demanda e umas 3 vezes por noite…mas estou/estamos felizes!

Amamentar não é um ato de amor, amamentar é optar por dar o melhor alimento pro seu bebê, afinal o leite materno é poderoso e sem duvidas é o melhor pro seu bebê! Claro que fazemos com amor, mas e as mães adotivas que não amamentam, ou quem fez redução de mama e não consegue amamentar e quem mesmo sabendo que é o melhor, simplesmente não quer amamentar? Elas amam menos? Tenho certeza que não! Amamentar não é parâmetro para medir amor, e nem sempre é uma opção, mas se você quiser, se informe ao máximo! E quando amamentar deixa de ser bom para a mãe, deixará de ser bom pra o bebê! Então temos que aceitar que fizemos nosso melhor, por amor, mas que amor mesmo é fazer a melhor escolha por nossos filhos e por nós mesmas!

Amamentar é doação, é abrir mão de comer chocolate porque da cólica no bebê, abrir mão de tomar vinho com o marido, porque o álcool é prejudicial ao bebê, é abrir mão de viajar a trabalho, porque não pode levar o bebê, é abrir mão de dormir à noite inteira, porque o bebê acorda para amamentar. É mesmo cansada e exausta, algumas vezes pensar em desistir! E por amor e por saber que é o melhor pro bebê, seguir em frente até quando for bom para mãe e bebê, ou achar que está na hora de desmamar!

E como saber qual a hora ideal do desmame? Segundo a OMS é indicado amamentar até 2 anos ou mais. Mas a gente sabe que na pratica pode ser antes, como depois, e só a mãe e o bebê para saber qual a hora de desmamar! Respeite, apoie a mãe que amamenta e a que não amamenta, porque AMOR todas tem(ou a maioria) e RESPEITO todas merecemos!

beijos

Angi

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!