30.set.2011

"Casa estranha, com gente esquisita…

Eu não tô legal!”…
Apareceu a margarida aqui para contar os por quês do sumiço!
Marido viajou a trabalho e eu resolvi que seria melhor para nós irmos passar esses dias na casa dos meus avós. A verdade é que eu não gosto de ficar sozinha com o Antônio, ainda mais que não tenho amigas, nem parentes na cidade, então ficaria preocupada além da conta. Sabem como é…casa dos avós é sempre bom, chimarrão, conversas sobre o tempo deles, almoço com tempero diferente do nosso, colinho de avós, enfim…ADORO MUITO TUDO ISSO!
Só que eu não contava com os imprevistos, nem com a astúcia do Antônio, nem com milhões de enfeites da bisa, porta retratos mil, nem com a super energia desse guri, que quase não dormiu!Não adianta, ele estranha  as pessoas, o lugar, as mudanças o que refletiu na rotina dele.
A rotina do guri virou de cabeça para baixo, o bebê que antes dormia as 21:30 e acordava as 08:00 passou a dormir as 22:30 e acordar as 6:40, e ainda acordava durante a noite para dormir na cama comigo.Aquele gurizinho da mamãe que dormia 3 horas numa bela soneca da tarde, passou a dormir 40 minutos pelas 11 da manhã o que me rendia um tempo para banho e mais uns minutos de paz. Dá para imaginar o estado dessa mãe que vos escreve, acrescenta olheiras de pandas, e postura do corcunda de notre dame, SOU EU!!
Foi uma loucura, loucura, loucura. Eu sei que criança cai, que faz parte, todas as mães falam isso, mas eu não me convenci ainda não. E quando o filho é seu é diferente, cada tombo dói mais na gente do que neles. Acreditem ou não, nesses 3 dias Antônio caiu umas 4 vezes, uma descendo um degrau, outras 2 na sala e a última foi da minha cama…#mãesofre! Depois de chocorô, de colo, de peito, passa e lá vai ele atrás de mais tombos aventuras!
A casa é antiga e bem maior que nosso apê, então andei tanto atrás dele que deu dor na panturrilha, subi e desci rampa e quase rolamos ele rola rampa a baixo! #mãesedentáriasofremuito
E quando não estava desvendando os mistérios da nova casa queria colo de mãe, será que se eu colocá-lo no carrinho rola um tempo para minha coluna voltar para o lugar? Que nada não queria saber de brincar sentado, ou passear no carrinho, ou nada que fosse calmo…rs
Depois disso tudo eu só quero saber por que os finais de semana passam tão rápido e esses 3 dias que marido viajou se arrastaram tanto? Eis a questão.
Uns dias na casa dos bisavós foram ótimos, Antônio aproveitou horrores, conheceu um mundo novo, teve visitas de priminhos e tios que não víamos há tempos e até que sobreviveu bem aos dias longe do papai. A mamãe ficou enlouquecida atrás do guri, e descobriu que tem mais braços do que já era sabido, um que pega o bebê, o outro que pega a porcelana antes de se estatelar no chão e outro que ainda segura a cuia do chimarrão! \0/
O saldão dos 3 dias fora de casa foi bom porque aproveitar com os bisavós não tem preço, mas a mãe aqui não aguentou o cansaço, estresse de assumir toooodas as tarefas do guri sozinha e longe de casa, o que rendeu um cansaço fora do comum e 2 aftas gostosas(tô mal)!
Se conselho fosse bom a gente vendia, mas eu dou mesmo assim: ” Se for mudar a rotina do filho se prepare porque quem sofre é você e se possível evite mudar muitas coisas na rotina, como o ambiente, a ausência do pai, etc. você ficará ACABADA!”
Aos poucos vou me atualizando dos blogs das amigas, imagino que deve ter acontecido muitas coisas nesses dias que estive off!
Beijos e ótima sexta!!

do google

Comente pelo Facebook

Leia mais!