12.mar.2012

Colheres e seus mistérios…

Quando o começamos a introduzir alimentos sólidos na alimentação do bebê ficamos cheias de dúvidas´, e ainda temos que pensar nos talheres para oferecer as papinhas para eles.
O mercado hoje em dia tem muitos tipos de colheres e a gente fica mais perdida ainda, não é mesmo?
Como sempre queremos o melhor para nossos filhos, muitas vezes compramos vários tipos para experimentar e ver qual ele vai se adaptar melhor.Então vou contar meu relato em relação as colheres e seus mistérios para ajudar as mães que tem dúvidas quanto a isso. Lembrando que não sou especialista nisso, mas conto como foi que aconteceu aqui em casa e espero ajudar algumas mães.
Aos 6 meses o bebê pode ter alguns dentinhos, ou não, Antônio não tinha nenhum nessa fase, era banguelo.
Optamos pela colher de silicone para as primeiras papinhas, pois o silicone é inodoro (não tem cheiro), macio e delicado para as gengivas dos bebês. O Antônio se adaptou super bem, sempre gostou, e muitas vezes queria usar como mordedor. Acredito que as colheres de inox, ou mesmo as de plástico nessa fase poderiam machucar as gengivas dos bebês que ainda são banguelos, e também não sabem comer.

Girababy






Chicco

Púr –  Kavod


Assim que os dentes começaram a nascer, eu troquei as colheres, com o tempo tem que trocar mesmo, seja de silicone ou plástico, é recomendado trocar de 3 em 3 meses, então como as de plástico eram mais baratas a gente resolveu testar e Antônio comeu normalmente, não sentiu diferença. Na pratica funcionou muito bem, e essas colheres de plástico são de um plástico macio e anatomicamente especial para os bebês, e mais baratos que o silicone!
Essas de plástico eu introduzi quando Antônio estava com uns 11 meses e meio, nascendo os primeiros dentinhos. 

Munchkin


Pur – Kavod


Eis que o bebê cresce e aos poucos vai adquirindo coordenação e querendo sua independência na hora da alimentação.Aqui isso aconteceu em torno dos 18 meses dele. Ele nos via comendo sozinhos e queria imitar, então nos demos conta que as colheres de cabo longo dificultavam muito a pegada nos talheres. Aí chegou a hora de mudar de talheres novamente.

Olhei as lojas virtuais durante o tempo de folga do guri, e pesquisei o que seria ideal para o Antônio. E conheci dois tipos de talheres que deram super certo, ele já come sozinho, mas ainda conta com a mamis aqui para comer o arroz e feijão, ou aquilo que ele não consegue fincar com o garfinho, a bagunça rola solta, muitas vezes cai bastante comida para fora do prato, ou mesmo no chão, mas faz parte do aprendizado.

Os talheres menores são ideais para as mãos das crianças. Eles pegam bem direitinho e se sentem seguros na hora de comer.
Nós usamos os talheres da Púr que são super fofos,são livres de BPA, tem cabo anatômico, possuem base que mantem eles em pé, e Antônio adora brincar enquanto come, aprende se divertindo. Os outros que usamos são de inox da The Firs Years dos carros, que encontrei na Baby Boo. Os dois são super práticos e podem ser levados ao microondas, máquina de lavar louça.
Já usei os mesmos talheres que nós, mas confesso que ele já se machucou então uso somente em raras ocasiões de passeios que esquecemos os talheres.
E vocês mães, tiveram alguma dificuldade com os talheres nessa hora da introdução das papinhas?
Quais talheres vocês usam e recomendam?


Púr – Kavod


The First Year