14.jul.2017

Como organizar as heranças de man@ para man@?

roupinhas_segundo_filho

Imagem daqui

Como é bom ter o segund@ filh@, principalmente se o segund@ é do mesmo sexo do primeir@, daí sim, fica barbada, pois o menor acaba herdando tudo do maior – e as mamães e papais, felizes da vida com a economia :)))

Mas, até mesmo quando são de sexos diferentes podemos aproveitar muitas coisas, então aí vão dicas de como organizar as roupinhas que guardamos de um filh@ para o outr@:

  1. Primeiramente, faça uma “limpa” em tudo que está guardado do filh@ maior: isto é, veja se estão limpas, em condições de uso, se precisam de reparos e, até mesmo se ainda gostam daquela roupa. Feito esse primeiro passo, partimos para o armazenamento;
  2. Roupas de 0 a 2anos: os bebês crescem muito rápido (por vezes, de uma semana para outra já espicharam  *-*) e as roupinhas não são muito volumosas ainda. Então, o segredo é deixar as roupinhas que serão herdadas muito perto das que estão em uso. Por exemplo, numa gaveta abaixo das que estão em uso, com etiquetas dos meses nas pilhas para ir verificando de tempo em tempo. Mas, verificando mesmo, porque também sabemos que um filho é diferente do outro, alguns crescem mais rápido, outros nem tanto. Coloque uma meta de verificação semanal ou quinzenal, para não se perder no prazo e deixar de aproveitar as roupitchas. Das roupas que já não servem mais, também devemos fazer uma seleção do que queremos guardar (para o próximo filh@ ou para ter de recordação – daí a dica é colocar numa caixa bem bonita com as coisinhas que mais amamos do nosso filhote).
  3. De 2 a 4 anos: passada a fase inicial (até 02 anos), o crescimento se dá de forma mais controlada e as roupas vão ocupando mais espaço. Ainda, pode-se usar a gaveta que está “sobrando” no roupeiro / cômoda, mas já não caberão muitas roupas (claro que depende da quantidade herdada). O ideal é agrupar em sacos transparentes (tipo sacos a vácuo ou ainda as embalagens de edredons/roupas que vem com zíper para que fiquem higienizadas e à mostra) e, colocar etiquetas do tamanho/idade das roupas. Mas, vale continuar dando uma conferida, a cada -1 ou 2 meses – para não perder o timming da herança. A cada roupa que não serve mais, surge a possibilidade de buscar uma do man@ mais velho que já sirva.
  4. A partir dos 4 anos, principalmente para meninos, as roupas herdadas serão cada vez em menor quantidade, pois eles “detonam” mais as roupas, poucas ficam em condições para @ caçul@. Mesmo assim, segue a prática de que as guardemos em condições para o uso. O que ocorre também é que as crianças já começam a escolher o que vestir, então aquilo que o mano mais velho adorava, o mais novo talvez não se interesse muito.
  5. Uma boa solução para as roupas que não foram muito usadas (semi-novas), que não serão guardadas para @ próxim@ filh@, é fazer trocas entre pais (existem muito grupos no facebook), vender em brechós, ou ainda,  doar para alguém que precise.

Minha experiência pessoal no quesito “herança do mano mais velho” sempre foi e, ainda é muito positiva, pois o menor se orgulha muito de usar uma roupa que foi do seu mano!!!! #muitoamorenvolvido

Espero que tenha ajudado, até o próximo post!!!!!

adriane

Adriane Denise Flessas – psicóloga com formação em coaching pela SBC. Personal Organizer e sócia da Organossys. Mãe do Felipe (09 anos) e do Bruno (05 anos).

Comente pelo Facebook

Leia mais!