18.set.2012

Confissões de uma mãe feliz

Ser feliz é um estado de espírito. É impossível ser feliz o tempo inteiro, eu sei. Mas eu gosto de ser POSITIVA na maior parte do tempo. Pois a força do pensamento é TUDO. Sei que a felicidade incomoda muita gente, assim como ser uma pessoa positiva. Tem gente que gosta de desgraça, não é a toa que o Datena ainda tem aquele programa horroroso de desgraça do Brasil. Eu não gosto, não assisto, me faz mal.
Sempre sonhei em ser mãe. Achava que seria a maior dádiva da minha vida, a maior realização. Abri mão de outros sonhos, para ser mãe. Ao menos naquela hora, deixei alguns sonhos guardados, para a realização de um outro sonho. E não digo que estava errada, que não é a maior realização da minha vida. Mas não é bem assim…primeiro porque não quero me realizar numa outra pessoa, seja filho, marido…quero me realizar por mim! E segundo, porque é muita responsabilidade colocar toda a minha felicidade no filho. Ser feliz é minha responsabilidade.
Sempre defendi que devemos ser mães felizes. Todas nós temos que fazer escolhas, desde quando descobrimos a gravidez, mas é a vida. A vida é feita de escolhas. E escolhas que podemos mudar a qualquer momento, a maioria delas para nossa alegria. Se você optou por ser mãe em tempo integral, seja feliz. Faça o que sempre sonhou, cuide do seu filho, seja dona de casa, é ótimo, recomendo. Se você optou por voltar ao trabalho, ou começar um trabalho novo, seja feliz também! Porém, dentro dessas escolhas, sempre defendi termos um tempo para nós, mesmo não conseguindo isso para mim, mas acho ser fundamental para todas as mães.
Por morar longe da minha família, desde sempre, nunca tive mordomias como deixar o neto na casa dos avós para jantar com o marido. Também não quero reclamar, umas 3 vezes eu consegui sair com as amigas, pois o marido ficava com o Antônio. Mas assim, sempre ficava com um gostinho de quero mais. Quero um tempo para mim, para fazer minhas coisas, admito! É questão de necessidade, de me sentir mulher de novo, não só esposa, mãe e dona de casa.
Eis que Antônio foi para a escolinha, sentimento de saudades, de culpa, pois ele ainda não fala tudo e eu queria que ele me contasse tudo que acontece na escola. Mas com o tempo…a culpa deu espaço para um sentimento maravilhoso! Sei que tem gente pensando: ” Que horror ela achar bom ficar longe do filho!” Mas eu acho um horror ser uma mãe infeliz. Viver cansada, se cobrando em ser uma mãe perfeita! Com esse tempo eu me encontrei como mulher, como esposa, como amiga e principalmente como MÃE! Sabe, me percebi uma melhor mãe agora. Sempre que estamos juntos não dou espaço para o cansaço, pois tive meu tempinho para descansar e fazer as coisas da casa em paz, agora a tarde é minha.
Super recomendo que todas as mães tenham seu tempo, nem que seja um dia da semana, nem que seja um dia no mês, a gente precisa se reencontrar…é tão BOM!

Foto: Laiz – UV Studio de Curitiba, minha amiga,super recomendo!

Comente pelo Facebook

Leia mais!