20.maio.2013

Cuidar de mim para cuidar do outro!


Imagem feita por Bárbara do SETE CORES Atelier!


Quando nos tornamos mães conhecemos o maior amor do mundo! A vida dá uma volta de 180º, mais alguns graus a cada filho que nasce. Nem sempre estamos preparadas para tantas mudanças. Queremos ser a “supermãe” que amamenta, faz arrotar, troca fraldas, dá banho, brinca, conta histórias, faz papinhas orgânicas… e vivemos cansadas!
Passamos a pensar no filho em primeiro lugar, e quando sobra um tempo aproveitamos para dormir! Muitas vezes esquecemos de comer, tomar banho, escovar os dentes, na correria do dia a dia. Esquecemos de cuidar de nós mesmas, inevitavelmente! Quando percebemos, o tempo passou e deixamos de fazer coisas que sempre fizemos e das quais gostamos e que eram importantes para nós. O motivo? A aparente falta de tempo.
Comigo foi assim: sou Educadora Física e sempre pratiquei esportes, antes e durante a gravidez. Depois do parto , após os primeiros meses, o ginecologista me liberou para a prática de exercícios e me inscrevi na academia. Eu queria ir, mas sair de casa era difícil e eu inventava desculpas. Havia problemas reais, é verdade, mas eu também criava dificuldades imaginárias e nunca voltei definitivo; praticava uma semana regularmente e faltava duas…
Mas há cinco meses eu percebi que precisava cuidar de mim e, além de dieta, retomei a caminhada e a corrida. A caminhada é a atividade ideal para quem adora inventar desculpas. É gratuita, só depende de nós mesmas, pode ser feita a qualquer hora do dia, e é completa. Além de emagrecer e auxiliar na volta ao peso de antes da gravidez, reduz o estresse, diminui os sintomas de depressão e ansiedade, que algumas mães têm no pós parto.
Força de vontade é importante porque tanto a dieta como a prática de exercícios exigem muita disciplina. Hoje posso dizer que estou bem mais feliz ! Aprendi que é fundamental cuidarmos de nós para então cuidarmos do outro. Assim como quando viajamos de avião, os comissários recomendam para em caso de despressurização da cabine, primeiro colocarmos a nossa máscara de oxigênio e após auxiliarmos os outros ( sábios comissários!), devemos ter essa atitude na vida, pensar em nosso bem estar, para proporcionar bem estar para o outro.
O filho precisa muito da mãe, mas de uma mãe feliz, e não de uma mãe cansada e sem paciência. A atividade física me trouxe muito mais do que meu corpo de volta: trouxe auto estima, energia. Sem duvida me sinto melhor, e conseqüentemente uma mãe melhor!
E com vocês, gurias? Conseguem pensar em si e depois no(s) filho(s)? Temos que ser o exemplo deles, né? Não se sintam culpadas em pensar em si próprias.
Cuidem de vocês, da beleza e da sua saúde. Organizem a vida para fazer as coisas de que gostam. E depois então, estando bem consigo mesmas, vão em frente e sejam felizes!
Beijos, Angi

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!