5.jul.2011

Da verdade, e da vaidade!

Ontem li um texto da Dani do Balzaca Materna, e refleti muito sobre esse assunto.Ela nos instiga a refletir sobre até que ponto ao escrevermos um blog nos deixamos levar pela vaidade nos nossos registros.

Adorei a reflexão, e cá estou para dar um depoimento sobre isso mesmo.Eu sou sincera sempre, e acho a sinceridade uma qualidade nas pessoas. Falo o que penso sempre que me perguntam, algumas vezes que não perguntam também sou de falar, não me aguento muitas vezes (tenho que melhorar, e vou melhorar…).
Aqui faço questão de ser sincera, de falar o que penso, tudo com muito respeito a vocês que me leem, e a opiniões diferentes da minha. Opiniões diferentes sempre existirão, acho fundamental para refletirmos, mudarmos, evoluirmos, mas sinceridade é algo que valorizo, e respeito!
Acho que é muito fácil nesse mundo virtual, pintarmos algo que gostaríamos que fosse verdade, mas em nome da verdade, e das memórias do Antônio, eu opto por verdade sempre, e muitas vezes sem nada de vaidade mesmo!
A verdade sim, nua e crua, pois cada criança tem um desenvolvimento,e cada mãe tem seu jeito, e viva as diferenças! Não sou de inventar, nem tão pouco fantasiar. O Antônio por exemplo,mamou exclusivo até 6 meses, botou toda a primeira papinha para fora, demorou para comer bem, e gostar, sentou super cedo, já caiu do carrinho, engatinhou para trás antes de engatinhar para frente, e demorou um pouco mais para engatinhar para frente, ainda não anda sozinho, mas dá seu jeitinho brasileiro de ir do sofá para a mesinha. Sempre fomos a pediatra, e ele sempre foi elogiado, dentro do tempo dele. E faço questão de colocar aqui sempre, as dificuldades e as alegrias do jeito que são, para outras mães saibam que não estão sozinha,que cada criança tem seu tempo, e devemos respeitá-los e acima de tudo apoiá-los e incentivá-los.Tem criança que caminha com 8 meses, coisa mais gostosa de se ver, tem criança que caminha com 1 ano e vários meses, todo orgulhoso de si, e é simples assim. E é impossível comparações dos filhos, ou até mesmo julgamentos de comportamentos, até que ponto temos medo das comparações e julgamentos?
Eu gosto é da verdade, mesmo sem vaidade!
Vocês já refletiram sobre a verdadeira verdade nos blogs que frequentam, e nos seus mesmos?
E com certeza, acredito muito nas pessoas, sou canceriana, acredito que não tem por que a pessoa mentir, se não estará se enganando,né?
E viva as verdadeiras amizades, as verdades feias, e bonitas!
Quem quiser ler o post da Dani passa !
Beijocas
Boas reflexões! (Imagem do google)

Comente pelo Facebook

Leia mais!