23.jan.2014

As diferenças da primeira para a segunda gravidez!

Quando engravidamos pela segunda vez, nos sentimos tri experientes, pensamos que já sabemos de tudo e que vamos tirar de letra todos as situações da gravidez, afinal, já passamos por isso uma vez, né?

QUE NADA! Mesmo que faça pouco tempo, ou 3, quase 4 anos… a gente lembra, mas não muuuuito bem, né? As vezes, tenho certeza absoluta que minha mãe não deve lembrar da gravidez dela… porque ela fala/pensa cada coisa! #minhamãequenãomeleia

Na primeira gravidez tudo é surpresa e novidade, e na segunda por mais que já sabemos o que esperar, ficamos tão ou mais ansiosas! Ficamos ansiosas pela expectativa do irmãozinho mais velho, que muitas vezes já pede por um mano, ou não! Pela família toda que quer que seja do sexo tal, leia-se oposto ao primeiro filho, pois é tão mais fofo ter casal, #sóquenão.

A primeira gravidez demora para passar, parece que ficamos grávida por 2 anos, conseguimos dormir quase sempre que temos sono, comemos sem culpa, somos mimadas 24 horas por dia, o marido atende a todos os desejos. Já na segunda, quando percebemos, já estamos em trabalho de parto, temos a casa, trabalho, marido, filho para cuidar, que nem vemos o tempo passar. Não conseguimos dormir quando temos sono, pois sempre tem algo para fazer. Não comemos tanto, primeiramente, pois não queremos ganhar tanto peso como na primeira gravidez, e outras vezes, pois nem lembramos de comer, devido a correria do dia-a-dia.  E os mimos? Ixi, lembro de umas duas vezes me perguntarem o que queria comer, e algumas vezes quando tive desejos/vontades, o marido disse que no outro dia ele trazia… ou que não era época de melancia, ou de caqui… nada de marido correndo no mercado para ver se existia melancia no inverno! #coisasdegrávida

As mudanças físicas já percebemos desde o começo, a minha barriga saltou assim que descobri a segunda gravidez, na primeira ela foi aparecer com quase 17/18 semanas. Além disso, dessa vez me preocupei 10000 vezes mais do que na do Antônio em relação a estrias, e desde que descobri, com 6 semanas, passo cremes, óleos e rezo, para não aumentarem as estrias que saíram uma semana antes do Antônio nascer!

Na primeira gravidez tudo é motivo para fotografarmos, almoços de família, a primeira semana de gravidez, a segunda, a barriga crescendo, o umbigo… e na segunda… bem, eu só lembro de fotografar quando algumas de vocês me lembram na fan page que faz tempo que não posto fotos! Só arranjamos desculpas, no começo não fotografamos, pois a barriga é mais de gordinha do que de grávida, depois quando começamos a ter barriga de grávida mesmo, nem lembramos de fotografar!! P.S. Agora marquei fotos com a Fê Alves, minha amiga e parceira, agora vaiiii!!

As mexidinhas do bebê demoram horrores na primeira gravidez, confundimos com gases, senti o Antônio mexer com umas 20 semanas, já o Caetano eu senti a primeira mexidinha com umas 14/15 semanas, já sabia como era…e na hora que ele mexeu, já bateu a emoção!

Na gravidez do Antônio, eu não senti incômodos, quer dizer, ao menos não lembro… ele nasceu no inverno, então quando estava no ápice da barriga, já estava frio, quase não inchei e nem lembro de caminhar feito pata-choca! Já na gravidez do Caetano, que vai nascer no verão/outono, eu estou super inchada, precisaria de 2 a 3 drenagens por semana, sinto dores na virilha, e as vezes tenho que caminhar de lado, sinto câimbras, uma marravilha! Claro, além da diferença climática, passo o dia todo com o Antônio, me agachando, juntando brinquedos, dando banho, escovando os dentes, lendo livros, pegando no colo… não tem mesmo como o corpo descansar, e não sentir dores! Mas cá entre nós, curtir a gravidez com o filho mais velho, é tão especial, não tem preço, é uma benção, e não tenho palavras para descrever o amor de irmãos, que percebo existir antes mesmo de qualquer contato físico, é um encontro de almas mesmo! 

Ahhh, as contrações de treinamento, as famosas contrações de Braxton Hicks, eu não senti na gravidez do Antônio, se tive, foi uma ou outra, tanto que nem lembro. Já na segunda gravidez, sinto faz mais de mês já, é uma contração de leve, sem dor, onde a barriga endurece toda, sem intervalo regular e passa… Assim como o colostro, aquele líquido que vem antes do leite, sabem? Na gravidez do Antônio desceu alguns dias após o parto, já na do Caetano…tenho desde as 23 semanas, além do peito dolorido, de sentir o peito “cheio”, se eu aperto, sai colostro… o que não quer dizer muita coisa, mas que é sinal de leite!

Dizem também que o parto é mais rápido, mas eu estou com outras expectativas, quero ter meu VBAC, parto normal após a cesárea, então estou ansiosa, mas tentando ao máximo ficar calma e confiar que tudo vai ser da melhor maneira possível! Estou me informando e com profissionais que pensam como eu… e isso eu conto depois que ele nascer! Torçam por um parto rápido e indolor! #pensamentoétudo

 

Em meio a tantas mudanças físicas, psicológicas e hormonais, acredito que estou me saindo muito bem! Mesmo cansada, com alguns sentimentos de culpa, de achar que não dou conta de tudo, de não saber como vou cuidar de dois filhos, da casa, do marido, de mim, da coelha, já sinto que esse amor não é dividido entre os irmãos, e sim multiplicado!!!!! E as vezes, até me pego pensando na próxima gravidez, ainda imagino que aconteça em 1 ano, 1 ano e meio… Louca? Provavelmente! Tenho certeza que penso nisso porque Caetano ainda não nasceu, já que queria ter 4 filhos e uma combi, até ter de fato o primeiro filho, ahhh, devem ser esses hormônios…só pode!

Comente pelo Facebook

Leia mais!