31.out.2014

Dor do crescimento – É um bicho-papão?

Olá Gurias, aqui estou eu (Dra. Fernanda) visitando a casa Angi de novo, para tentar esclarecer alguns assuntos. Convido vocês para visitarem minha casa também (seupediatra.com) e seguir outros temas no facebook, clicando aqui. Hoje vamos falar sobre um assunto que merece a devida atenção: a dor do crescimento.

dor crescimento

A Dor do crescimento é igual ao Bicho-Papão: Só porque a gente não vê, não quer dizer que ele não existe (Já vou explicar…).

Para uma mãe que o filho reclama, chora de dor nas pernas, chegar um médico e dizer que dor do crescimento não existe, não ajuda. É melhor explicar direito o que é essa dor, quais os fatores relacionados e como lidar com ela. E isso é o que vamos fazer hoje, esclarecer esse assunto.

O que é a dor do crescimento e por que algumas pessoas dizem que não existem?

A dor do crescimento é uma dor de surge “do nada”, não tem explicação, a criança não caiu, não bateu a perna, não vem acompanhada de nenhum sinal, não tem inchaço, nem manchas, e não limita as atividades da crianças. A dor se repete, pode ser diariamente ou de vez em quando

A dor do crescimento existe, apenas foi dado o nome “errado” para ela. Não existem provas de que a dor acontece devido ao crescimento, e por isso algumas pessoas dizem que não existe. Mas como eu disse, não é porque você não “vê” alguma coisa, que ela não existe.

Alguns especialistas sugerem usar o nome de “Dor nos Membros”, para evitar essa associação com o crescimento.

Mas para uma mãe, não importa se chamamos a dor de “X” ou “Y”, o importante é saber o que é.

Então, o que causa a dor?

Não se sabe ao certo o que causa a dor do crescimento. Algumas hipóteses são de que pode ser por um “cansaço” dos músculos, pela postura, por um desequilíbrio entre o crescimento do osso e dos músculos ou até mesmo causas psicológicas podem ser a causa.

Quando e onde ela aparece?

A dor aparece mais no final da tarde e à noite. A criança reclama de dor nas coxas ou nas panturrilhas (batata da perna), e geralmente não dói em um único ponto, é uma dor difusa. Normalmente acomete as duas pernas, a criança não sabe localizar bem onde dói e pode doer em lugares diferentes nos outros dias.

Durante o dia a criança brinca normalmente e realiza todas suas atividades diárias, sem queixas.

Com que idade é mais frequente?

Geralmente a dor acontece entre os 3 e 10 anos de idade. E é mais frequente em crianças que não fazem muita atividade física.

O que pode influenciar?

Fatores emocionais estão relacionados com as dores de crescimento. Nascimento de um irmão, entrada na escola, briga dos pais, etc. É importante ficar atento se existiu algum trauma emocional.

Como é o tratamento?

Normalmente a dor melhora com massagens, compressas, alongamento e muito carinho. A dor se resolverá sozinha, mas a criança precisa do seu apoio e segurança.

Se é uma dor que não prejudica o crescimento da criança porque devo procurar o médico?

Não existe exame que faça o diagnóstico da dor de crescimento. O diagnóstico é feito quando se exclui as outras doenças que poderiam causar dor nesse local. Por isso é importante que o quadro seja sempre acompanhado por um médico, pediatra ou ortopedista, para assegurar de que não existe outra doença mais grave provocando a dor, e que você pode ficar tranquila.

Quer dividir sua experiência com a gente? O que funcionou com o seu filho? Como a dor foi embora? Se ficou alguma dúvida, clica aqui no facebook do Seu Pediatra, e envie sua mensagem.

Nos vemos na próxima semana,

Dra. Fernanda Freire

Comente pelo Facebook

Leia mais!