10.ago.2015

O que é a tão “famosa” Doula e os seus benefícios. Qual o seu papel na gestação, trabalho de parto e puerpério?

ilustração eva mastrogiulio

Ilustração Eva Mastrogiulio

Doula palavra de origem grega, servente, escrava. Todas as pessoas dizem que devemos procurar uma doula para conseguir um parto desejado, planejado e humanizado, e por que todo esse discurso?

Doula é a mulher que serve a gestante amplamente, mostra-lhe caminhos, dá apoio emocional, físico e também informações ao longo da gestação.  A presença da Doula tem evidência científica mostrando de forma positiva, maior chance de parto vaginal natural e diminuição de intervenções como mostra alguns estudos:

  • Menor risco de parto instrumental, fórceps, vácuo.
  • Menor duração do trabalho de parto.
  • Menor risco de relatar insatisfação com a experiência de parto.
  • Menor necessidade de analgesia de parto.
  • Menor risco de cesariana.
  • Menor risco de nascimento de bebe com baixos escores de Apgar no 5º minuto
  • Reduz uso de Ocitocina.

O papel da Doula como profissional treinado é fornecer constantemente conforto e encorajamento, trabalha o resgate do feminino fazendo a mulher olhar para si. Os encontros da Doula e gestante passa a ser um momento de troca, a gestante expõem seus medos, vontades, desejos, suas expectativas e a Doula tem a função de ouvi-la, orientá-la com leituras, vídeos, vivências, assim vão se conhecendo e adquirindo confiança para o momento do parto, e nascimento do bebê.

No trabalho de parto seja domiciliar ou hospitalar, a Doula oferece todo apoio afetivo e emocional para que a mulher se sinta segura e tranquila. A Doula trabalha no alívio da dor durante as contrações com técnicas terapêuticas, como massagens, exercícios, respiração, caminhada, banho, promovendo sempre conforto e nunca utilizando métodos farmacológicos.

Estudos mostram que a presença da Doula traz benefícios de ordem emocional e psicológica para mãe e bebê incluindo no pós-parto até a 8ª semana após o parto.

  • Diminui incidência de depressão, estado de ansiedade, baixa autoestima.
  • Reduz a incidência na depressão pós-parto.
  • Aumenta o sucesso na amamentação.
  • Interação satisfatória entre mãe e bebê.

A mãe, mulher, gestante escolhe a Doula por empatia, segurança, e o papel dela será ACOLHER e também EMPODERAR essa mulher.

Vale lembrar que a Doula não substitui o acompanhante no momento do parto, a Doula é a guia em orientar posições, ela é a “bolha” que se forma quando o ambiente não está tranquilo, ou não saindo como o planejado, ela é a mão abençoada no alívio das contrações, ela é o olhar do encorajamento, ela olha pelo filho mais velho, ela tranquiliza um familiar presente. Sempre com propósitos de mostrar CAMINHOS , e fazer a parturiente ACREDITAR EM SEU CORPO.

Basicamente falei do papel da Doula e o que cabe a ela, mas vale lembrar que a Doula não realiza nenhum procedimento, não é obstétrica, parteira, pediatra, enfermeira e neonatologista, e em trabalho de parto ATIVO o Ministério da Saúde recomenda que a gestante esteja acompanhada do profissional médico, parteira ou obstetriz.

Das coisas eu ouço sobre a Doula e repasso a vocês:

Temos que ser a Ocitocina Ambulante dessas mulheres, Doula a quem Doer.

Beijos

novacolunista_Luciana

 

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!