11.out.2017

O que é uma REDE DE APOIO? A importância de ter uma para chamar de sua!

Antes de ser mãe, eu acreditava que quando tivesse filho(s), daria conta de tudo! Eu seria uma SUPER MÃE, SUPER ESPOSA e SUPER DONA DE CASA, não precisaria da ajuda, afinal, somos a mãe perfeita até nos tornarmos mães, não é mesmo?

Por conta dessa minha expectativa, não aceitava ajuda, mesmo não tendo muita oferta, já que minha mãe morava longe da gente, e minha sogra trabalha fora até hoje. Eu não pedia ajuda nem do marido, queria fazer tudo e me tornar aquela mãe que eu sempre pensei que seria.

Por um tempo dei conta de tudo, na época tínhamos apenas um filho, o Antônio, eu fazia e vendia cupcakes sob encomenda, vendia sapatilhas, além das atividades de mãe e dona de casa, ah, e já escrevia o Blog. Até que um dia me vi EXAUSTA e com depressão pós parto e precisei cuidar de mim, reorganizar a nossa rotina, pedir ajuda para quem estivesse disposta e disponível,  ainda que sem ter família perto e minhas amigas não tinham filhos. Então se eu pudesse dar um conselho para uma gestante agora seria: tenha uma rede de apoio!

Mas afinal, o que é uma REDE DE APOIO na maternidade?

É basicamente ter pessoas com que você pode contar/confiar quando precisar, independente da fase que seu filho estiver!

Durante a gestação nos preparamos para a chegada do bebê, sabemos tudo que precisamos no enxoval, como limpar o umbigo, como dar banho, como fazer arrotar, mas mesmo querendo, é muito difícil nos prepararmos para todas as transformações que um(a) filho(a) faz na nossa vida!

A maternidade transforma a vida, principalmente da mulher, que na maioria das vezes, abre mão de muita coisa em função do(s) filho(s). É só pensarmos que a mulher tem em torno de 4 a 6 meses de licença maternidade, enquanto o pai tem 5 dias corridos, apenas funcionários públicos tem 20 dias. Sendo assim, desde bebê estamos mais disponíveis para os filhos, levamos para vacinação, consulta de pediatra… E por mais desejado, sonhado, planejado e amado que seja(m) esse(s) filho(s), é um processo único a cada nova gestação e pode ser um tanto solitário quanto doloroso.

As mudanças são hormonais, físicas, emocionais e sociais. São novas demandas, uma nova mãe-mulher, um novo pai-homem, um bebê em desenvolvimento, as vezes irmãos que terão que lidar com um novo bebê(irmão)… São muuuitas mudanças em pouco tempo, afinal temos 9 meses para nos prepararmos para a chegada do bebê e assim que nasce queremos nos adaptar a essa vida nova! E o que quase ninguém fala é que mesmo vivendo o sonho que planejamos a vida inteira, muitas vezes nos sentimos exaustas, sozinhas e frustradas!

Na maioria das vezes nos preparamos para a chegada do bebê, mas não nos preparamos para o pós parto, para as noites mal dormidas, para os medos, para as angústias, para as mudanças no casamento, para os dias que não conseguimos nem tirar o pijama, que o bebê só quer colo e mamar. A maternidade é uma dádiva, somos gratas pela saúde dos nossos filhos, mas precisamos também precisamos falar sobre as dificuldades, afinal muitas vezes acreditamos que só nós nos sentimos sozinhas e aí quando vemos mais mães falando sobre essa “solidão” nos sentimos normais e aliviadas. 

A rede de apoio à maternidade e à paternidade é de fundamental importância assim que o bebê nasce!

Quem faz parte dessa rede de apoio?

Tanto familiares, como amigas, vizinhas e profissionais especializados para dar assistência materno-infantil, como consultora em amamentação, psicólogas…

Como a rede de apoio pode ajudar?

Uma visita de uma amiga, que leva uma refeição pronta, facilitando a vida da mãe que teria que cozinhar, assim ela pode comer tranquilamente. Uma amiga que vai para conversar, que oferece ajuda para fazer alguma atividade da casa, lavar uma louça que está na pia, enquanto a mãe descansa. O marido que compreende que a mãe-mulher estará menos disponível assim que o bebê nascer. A avó que cuida do(a) neto(a) enquanto a mãe toma um banho calmamente. Muitas vezes focamos no bebê, mas é a mãe que precisa de atenção. São pequenas atitudes, mas que fazem muuuuita diferença na vida dessa mãe e do pai! E se a mãe e o pai estão bem, o bebê estará bem!

Ter uma rede de apoio quando o bebê nasce e mesmo quando ele for crescente faz toda a diferença para a família! A mãe pode retornar ao trabalho mais tranquila, sabendo que pode contar com os avós, ou alguém de confiança. O casal pode ter um tempo para si, quando alguém de confiança fica com o(s) filho(s) por um tempinho para que saiam para jantar eventualmente. A mãe pode retomar a atividade física, sabendo que o pai ficará com o(s) filho(s) enquanto ela está na academia.

O importante é confiar e aceitar ajuda!

Certamente, na primeira vez que sair com seu marido e deixar o filho com alguém de sua confiança, vocês irão falar do filho durante todo o jantar, irão mastigar rápido, como estão acostumados a fazer. Mas nas próximas saídas irão curtir ao máximo, pois saberão que seu filho estará bem cuidado e que vocês precisam desse tempo para vocês! É saudável para seu filho ter um tempo com os avós, tios, padrinhos… e é saudável para o casamento vocês terem tempo para vocês!

Muita calma e paciência!

Claro que ninguém vai cuidar dos nossos filhos como nós cuidamos, por isso é importante fazerem combinações e filtrar algumas coisas. Minha mãe quando fica com os guris deixa eles assistirem televisão até mais tarde, comem sobremesa depois da janta (o Santiago não, né?), coisas que não fazemos em casa, mas que se fizerem um dia não vai mudar os hábitos, então conversamos e eles sabem que é só na casa da vovó… Tem que avaliar se vale a pena para vocês.

Nem sempre teremos a família perto, ou amigos para formar essa rede de apoio. Algumas vezes a professora da escolinha ou uma babá, que serão rede de apoio pagas. Mas o que fazer quando não tem nenhuma coisa, nem outra?

A minha dica é formar a sua rede de apoio, conversar com as mães da escola do seu filho, mães do seu condomínio, e aos poucos formar a sua rede de apoio! Conheço histórias bem legais de rede de apoio, mães que compartilham os cuidados dos filhos, podendo assim voltar a sua vida profissional e social com mais tranquilidade e perto dos filhos! Uma dica de filme que mostra como é importante uma rede de apoio é o Clube das Mães Solteiras, tem na #netflix, se você ainda não assistiu, vale a pena!

SMC_D12_077.CR2

Ter uma rede de apoio torna seus dias mais leves e tranquilos!

E vocês, tem uma rede de apoio?

Beijos

Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!