10.out.2013

ELA: Esclerose Lateral Amiotrófica {Fala,Fono!}

Olá, mamães!

O assunto de hoje não está diretamente ligado à infância, mas é de extrema importância nosso conhecimento, por se tratar de uma doença comum nos dias de hoje.

Entendam um pouco sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA):

E- Esclerose: Endurecimento, cicatrização

L- Lateral: Endurecimento da porção lateral da medula espinhal

A- Amiotrófica: Fraqueza que resulta na atrofia do músculo: o volume de tecido muscular diminui.

A Esclerose Lateral amiotrófica significa fraqueza muscular, por comprometimento de neurônios motores.

Quais as características da doença e o que ela provoca?

Os neurônios motores (responsáveis pelos movimentos de contração e relaxamento muscular) do cérebro e da medula espinhal perdem sua capacidade de funcionar adequadamente, degenerando-se, não conseguindo enviar impulso para os músculos, começando a ocasionar atrofia seguida de fraqueza muscular crescente.

A doença acontece mais entre os homens, acima dos 60 anos e não afeta o raciocínio, visão, audição, paladar, olfato e tato.

Qual é o primeiro sintoma?

A fraqueza muscular. Junto com ela podem aparecer tremores musculares, reflexos exaltados, diminuição da sensibilidade e o mais comum: cãibra. A falta de conhecimento faz com que o paciente normalmente procure um ortopedista.

Atualmente leva-se em torno de 10 a 11 meses para fechar o diagnóstico e ter a confirmação da doença.

Existem formas mais agressivas da ELA, quando ocorre a paralisia bulbar progressiva: ataca a língua e a glote e isso faz com que o paciente deixe de mastigar e falar, passando a diminuir de peso.

Quem são os profissionais que podem prestar atendimento ao paciente com ELA?

FONOAUDIÓLOGO A atuação de um fonoaudiólogo é essencial, uma vez que a comunicação oral se desintegra durante a doença. O fonoaudiólogo instrui o paciente como preservar sua fala o maior tempo possível, planejando novos métodos de comunicação (por exemplo, utilizando uma caneta e papel, ou fazendo sinais com as pálpebras). Ensinando o paciente sobre todos os aspectos da doença, irá permitir-lhes sentir maior controle sobre suas vidas e bem-estar. Finalmente, o

fonoaudiólogo pode também desenvolver métodos de alimentação, uma vez que a deglutição torna-se um problema.

FISIOTERAPEUTA Esse profissional trabalha com toda a família, porque as demandas emocionais desenvolvem-se quase que subitamente. Lembre-se, a capacidade funcional de um paciente pode ser reduzida rapidamente de semana para semana, deixando pouco tempo para a total aceitação e entendimento do que está lhe acontecendo.

NUTRICIONISTA O nutricionista orienta sobre a escolha dos alimentos e sua forma mais aceitável, tanto para o paciente como para sua família. Além disso, também são úteis em fornecer informações sobre alimentação enteral, caso seja recomendado uma gastrostomia.

ASSISTENTE SOCIAL O assistente social é também útil, não apenas para apoio emocional do paciente, como também para membros da família. Além disso, fornece informações sobre auxílio financeiro e assistência nos benefícios sociais.

 

Assim sendo, é importante lembrar que quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maior qualidade de vida para a pessoa com ELA.

ela

Abraços,

Taís Alves Batschauer

Fonoaudióloga

Porto Alegre

[email protected]

Comente pelo Facebook

Leia mais!