26.out.2011

Era uma vez…a importância de contar histórias!

Era uma vez…
Quantos pais hoje em dia sabem contar histórias para seus filhos? Histórias de princesas, sapos, dragões, castelos, florestas, ou de meninos valentes que derrotavam gigantes..
Quantas crianças estão privadas daquelas horinhas gostosas de convívio com a mãe, pai, ou avós? Contar uma história não só estimula a imaginação e a fantasia como também cria um momento mágico rico de ternura e encantamento.
Hoje em dia tenho a impressão que os pais contam menos histórias aos seus filhos. E se nos perguntarmos por que não ler nas tardes chuvosas, ou antes de dormir? Será falta de tempo ou de paciência, cansaço, preguiça? Só não digamos que as crianças de hoje não gostam mais de histórias, isso é impensável, pois uma história estimula a imaginação. Tem coisa melhor do que viajar com o livro? Eu não conheço nenhuma outra maneira que podemos ir de um deserto para a praia em piscar de olhos, a não ser nos livros.
E se compararmos as crianças que tiveram oportunidade de ouvir ou ler histórias com as que só assistem a desenhos na televisão, poderemos ver a vantagem do vocabulário que as que escutam e leem histórias em relação as que assistem desenhos.
Quem lembra de lojas onde havia recreacionista contando ou lendo histórias poderá ter comprovado o interesse da gurizada, o brilho nos seus olhinhos e a facilidade com que se separam das mães para ouvir histórias e viajar no mundo da imaginação onde as essas nos levam a outro mundo.
Também nas escolhinhas e festas infantis, quando se forma um círculo, normalmente no final da aula ou da festa tem histórias para ” acalmar ” a criançada, que atenta ao narrador se envolvendo encantando.
É certo que existe uma arte de contar histórias, que pode ser aprendida ou desenvolvida. Contar a história tendo o livro à mão também estimula o gosto pela leitura e a criança passa a ver o livro como uma fonte de conhecimento.
Para ser um bom contador de histórias basta:
* Dramatizar: nada é mais chato e entediante para uma criança que uma leitura monótona, a entonação deixa a história mais verdadeira, e leva o pequeno para esse mundo novo da história;
* Reproduzir os sons e gestos dos personagens: torna a história mais rica e interessante;
* Improvise! As histórias dos livros nem sempre são ricas em detalhes, então invente mesmo, dê mais detalhes, fale do cenário,dos personagens e dos desenhos dos livros, mas não se perca;
* Como todas nós tentamos ter uma rotina, inclua a hora da história no seu dia, mas não há regras, toda hora é hora de uma boa história contar, ainda mais quando seu filho pede, né?
* Histórias curtas.  Não conte histórias muito longas, pois as crianças pequenas normalmente não se prendem muito tempo a história, já as maiores gostam, se o cansaço bater no seu filho termine a história no dia seguinte;
Eu particularmente amo contar histórias, e revezamos eu e o marido antes de dormir, ontem mesmo, depois do janta, do banho, eu fui contar a história ” Queridos animais ” de Roberto Belli e assim que acabei, o guri estava dormindo. Ele adora folhear as páginas do livro e esse tem ilustrações lindas de Rubens Belli e eu adoro imitar os sons e mimicas dos personagens.
Tem um livro muito bom, que quero comprar que é Técnicas de contar histórias da Vania Dohme, traz textos de histórias, técnicas e ensina inclusive a fazer fantoches.
E vocês, gostam de ler e contar histórias para seus filhos?
E eles gostam dessa hora tão especial?
Beijos, Angi
 

Comente pelo Facebook

Leia mais!