22.abr.2015

Era uma vez… a importância dos contos de fadas!

contofadas

Se pararmos um pouco para pensar na nossa infância, muitos de nós nos lembraríamos das histórias que foram contadas e talvez, lembraríamos também, o medo de personagens, como a bruxa; a ansiedade para saber qual o destino da Rapunzel ou ainda a tristeza de acompanhar cada casinha que o Lobo mau destruía. Isto é… tais sensações se transformaram em boas lembranças.

Ainda hoje, no século XXI os contos ainda têm muito que nos contar! O que neles aparece como algo infantil, engraçado ou mesmo absurdo, traz junto sentidos e heranças ocultos, mas que são fundamentais para a nossa vida. Quando lemos para uma criança, estamos apresentando-lhes os heróis, os sonhos, as mocinhas e vilões, assim como o amor, o ódio, a compaixão. Na verdade, os contos infantis representam valores que atravessaram ciclos da história. Ouvir e contar histórias para os filhos é importante para o DESENVOLVIMENTO de sua IDENTIDADE, já que, através dos contos eles têm a possibilidade de ensaiar papéis, desencadear idéias, opiniões, sentimentos e a criatividade.

Então, como acabamos de ler, acredita-se que o contato com os contos de fada permite a criança o ensaio de muitos papéis sociais, o que auxilia na construção de suas personalidades. Ao ouvir uma história, os pequenos transformam as palavras e as cenas em sentimentos, desejos, dúvidas, medos, etc. Isso acontece porque, nos contos o que é um símbolo poder ser um personagem, que enriquecendo a identidade da criança, faz com que ela experimente outras formas de ser e pensar, ampliando suas próprias concepções sobre o meio que lhe cerca. É no “faz de conta” que a criança aprende também!

E quem convive com uma criança sabe, elas não se cansam de ouvir os contos de fadas ou de rever seus filmes e DVD’s favoritos!! Sabem por quê? Um dos motivos é que a maioria dos contos retratam os conflitos do desenvolvimento e assim, determinados contos irão fazer mais sentido para crianças de uma fase específica, que outros. Ao escutarem “de novo”, ao verem “de novo” a mesma história, elas estão tentando elaborar esses conflitos infantis. Os contos ajudam as crianças a lidar com as dificuldades do seu dia-a-dia, como: rivalidade entre irmão, inveja, medo, relação com os pais, vingança, sentimento de inferioridade, morte, frustrações, conquistas, separações, alegrias entre outros.

Ou seja, as crianças se identificam com a coragem do príncipe, com a sabedoria do rei ou com as maldades da bruxa. As histórias impactam nosso psiquismo porque tratam das experiências diárias e possibilitam que a gente se identifique com as dificuldades e com as alegrias. E tem mais, elas ainda, nos permitem FANTASIAR soluções e destinos e nesse ponto, a fantasia é fundamental para o desenvolvimento emocional da criança, pois ao “entrarem” no mundo de “faz de conta”, tanto as crianças, quanto os adultos, conseguem dar vazão para as suas emoções.

Isso quer nos dizer, que mesmo os contos sendo cheios de beleza, eles são ao mesmo tempo, amedrontadores, e de forma simbólica, mostram para os pequenos que a vida tem regras e limites e que é preciso enfrentar desafios na passagem para a vida adulta.

Outra função dos contos de fadas no desenvolvimento infantil é ajudar na imaginação! Na nossa vida cotidiana, imaginar é uma atividade paralela à ação que fazemos na realidade e assim, a imaginação é um processo que é auxiliado quando a criança lê ou vê seus contos preferidos.

A leitura deve ser estimulada pelos pais de forma natural! E ao lerem, ao brincarem, desenharem, pintarem, ao inventarem histórias, estão estimulando não apenas a parte cognitiva e intelectual, mas oferecendo um lugar para as angústias dos filhos. O mundo do “faz de conta” ajuda no mundo real. E ai, que tal começar a ler para o seu filho? Era uma vez...

Luiza Cantarelli Coradini
Psicóloga Clínica
CRP: 07/20819
Especialista em Psicoterapia da Infância e Adolescência

Email: [email protected], pergunte sobre o desconto para leitoras do Blog.

Comente pelo Facebook

Leia mais!