6.fev.2018

Estudo indica que cuidar dos filhos em casa cansa mais do que trabalhar fora, será?

Oi oi gurias!

Esses dias surgiu uma discussão na fan page sobre o cansaço de ficar com os filhos em casa e o de trabalhar fora. Comentei que tinha lido uma pesquisa que falava sobre o cansaço das mães que trabalham em casa ser maior do que o das mães que trabalham fora. Essa pesquisa foi feita na Bélgica, achei interessante trazer ao Blog para refletirmos apenas. Não é para ficarmos nos comparando quem está mais cansada, até porque acredito que cada mãe faz suas escolhas conforme sua felicidade, né? Se tua escolha é ficar em casa por um tempo, se a tua escolha é voltar ao trabalho quando a licença maternidade acabar, somos todas mães, estamos no mesmo time! 

mae cansa

Foto daqui!

“De acordo com um estudo conduzido pela Universidade Católica de Lovanio, na Bélgica, o desgaste físico e emocional atinge um a cada 10 pais. A pesquisa, publicada na última edição da revista científica “Frontiers in Psycology“, verificou cerca de 2 mil familiares.

Os resultados mostraram que 13% dos entrevistados sofriam todos os sintomas típicos do esgotamento, ou burnout parental, com abatimento, incompetência e cansaço, sendo que a porcentagem varia de 12,9% para as mães e 11,6% para os pais.

A Síndrome de Burnout ocorre devido tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho desgastantes. O termo “burnout” resultou da junção de burn [queima] e out [exterior], traduzido do inglês, caracterizando um tipo de estresse ocupacional, resultando em exaustão e em um comportamento agressivo e irritadiço.

O estudo, coordenado pela psicóloga Isabelle Roskam, indica que os pais não se sentem exaustos apenas devido aos papeis com os filhos, mas também que esse desgaste é, em muitos aspectos, idêntico ao estresse do trabalho.

Para os autores da pesquisa, o problema surgiu com uma transformação do papel do progenitor a partir da década de 1990 na Europa. Dessa forma, os pais passaram a dedicar-se cada vez mais os filhos.

“O ‘burnout’ indica a presença de um enorme desgaste psicológico que agora já não se limita a certas profissões específicas”, afirmou Fernando Pellegrino, psiquiatra do ASL de Salerno, na Itália.

Atualmente, os pais precisam atuar em cenários diferentes e com grande pressão. “Os pais não suportam o processo de aceleração histórica, saltos de gerações repentinos que mudam a forma de fazer as coisas das pessoas em um curto tempo e criam a falta de comunicação entre pais e filhos (que, por exemplo, agora têm um modo de se comunicar cada vez mais virtual)”, explicou o psiquiatra.

Segundo Fernando Pellegrino, as pessoas possuem muitas dificuldades em seus próprios espaços de trabalho, dificultando também a criação de seus filhos, principalmente se for considerado que hoje em dia a grande maioria não conta com o apoio de avós e outros familiares como se costumava a ter antigamente.

Para tentar impedir que os pais se esgotem de forma elevada é preciso avaliar o estado de tensão, reconsiderar a organização familiar e prezar mais pelas exigências emocionais dos filhos no lugar de correr atrás de mil compromissos.”

Texto do site Minha Vida

Eu acrescentaria que no Brasil, um país de terceiro mundo, onde temos preocupações com saúde, educação, segurança e crise financeira essas estatísticas seriam muuuuuito maiores! Claro que trabalhar fora cansa, lógico, ninguém disse que não! Mas ficar integralmente com os filhos, sem sair muito de casa, sem poder conversar com adultos, sem ter um tempo para si, sem ter uma renda por isso, lembrando que muuuitas mulheres ainda trabalham em casa para terem renda,  é algo muuuuito cansativo fisicamente e mentalmente. Por isso que muita gente fala que gostaria de trabalhar fora para “descansar’… e ao meu ver, tem um fundinho de verdade!

O que vocês acham? 

Concordam que trabalhar em casa cansa mais que trabalhar fora? Estão felizes e satisfeitas ( e cansadas) com as escolhas que fizeram?

beijos

Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!