4.nov.2011

Faça o que eu digo, não faça o que eu faço!

Na teoria é fácil ser a mãe que sempre imaginei que seria, mas na pratica eu sou a mãe real, a melhor mãe que eu posso ser, errando tentando acertar sempre.
Ser mãe em tempo integral é a realização de um sonho pessoal, essa história é mais velha do que a época que brincava de boneca. Já falei aqui no blog que sou filha adotiva, sempre quis entender como uma mãe podia não querer seu filho.Enfim, hoje entendo que a maternidade não é para qualquer uma. Talvez a psicologia explique, mas desde que me conheço por gente queria ser mãe, e idealizava a minha maternidade!
Desde que o Antônio nasceu eu me pego fazendo coisas que eu achava que nunca faria, e não é uma ou outra coisa não, são várias coisas, mas o que me deixou de cara comigo mesma não foi a cama compartilhada de cada dia, nem mesmo a chupeta que Antônio ama para dormir, tão pouco que eu não tenho tempo para mim. O fato é que o Antônio me manipula!
Sim, sou totalmente manipulada por um bebê de 1 ano e 4 meses, facinho!
E não, não acho legal, inclusive estou trabalhando para mudar isso.Como eu fico o dia na função do filho e casa, no final do dia já estou tri cansada e o “mimimi” ecoa na minha cabeça e quando vi, já fiz as vontades do guri.
 Não sei se é uma fase, espero que seja, e espero que passe logo, talvez o Antônio esteja antecipando o terrible two, o fato é que quando ele é contrariado é um chororô sem fim, na real, nem sei se é sem fim, porque a mãe de bosta aqui, nem vê até onde vai o chororô, nos mínimos mimimi’s eu dou colo, dou o que ele quer, enfim…encho de mimos.
Para me sentir pior ainda é aquele chororô sem lágrimas, mas que toca na alma da mãe, sabem cumé?
A mãe que sempre achou que seria firme nas suas decisões e não se deixaria levar por um mini homem, muitas vezes se rende e faz as vontades dele. As vontades variam, desde uma caneta, alicate de cutícula, tesoura de cozinha, o celular… Sei que não é o certo, sei que deveria manter a minha palavra em qualquer situação que fosse, eu sei a teoria, mas confesso, final do dia, eu estou tão cansada que não quero ouvir chororô e libero geral. Marido me contraria, lógico, alguém tem que praticar a teoria, diz que tenho que explicar o porque não pode, e deixar ele chorar se quiser fazer birra. E não é que dá certo, mas em meio ao cansaço, até para evitar que chore, que se frustre eu faço as vontades dele sim.
E sei que se eu não der um  basta agora nessas manhas e birras do guri, daqui a pouco ele estará se tocando no chão de um shopping até a gente eu fazer as vontades dele, DEUSOLIVRE!!
Pode parecer até engraçado, porque na casa dos outros parece engraçado, mas não tem graça, não mesmo!
E quando o maridão chega em casa?
Ah, daí a manha dobrada rola solta e Antônio quer mostrar quem manda em casa, só pode ser isso, porque as birras e as vontades aumentam, tudo é dele, tudo ele quer, e o tudo é TUDO QUE NÃO É PARA CRIANÇAS!E ele acha que manda e desmanda, guri, tu vai entrar nos eixos.
Por isso que eu digo e repito: “façam o que digo e não o que eu faço”!
Os filhos tem vontades, estão sempre nos testando, não se deixem levar por mimimi’s e chororôs, sejam firmes e mantenham a sua palavra, filhos precisam de limites. E mães precisam de um pouco de sossego,não é mesmo?
Agora façam um teste da mãe manipulada:
* Fiquem um dia inteiro em casa, acorde cedo, dê mama, café da manhã, lanche da manhã, brinque em casa, brinque na rua, arrume a casa, faça almoço, dê almoço, faça o baby dormir, depois almoce, arrume a cozinha, se der tempo tome banho, se não segue o lanche do bebê, arruma mais um pouco a casa eternamente…
* Acrescentem cansaço, noite mal dormida, e TPM mensal;
* Não esqueçam de alguns chororôs na hora de trocar a fralda, ou escovar os dentes, ou comer, ou dormir…
* Agora acrescentem mais chororô simplesmente porque o papai chegou em casa
* E tentem não ceder em alguns desses chororôs…
FIZERAM?
– Se você conseguiu não ceder as vontades do filho, PARABÉNS, um dia serei igual a você!
– Se você não conseguiu ser firme e forte, bem vinda ao clube das mães que sabem que podem melhorar, mães conscientes que aos poucos chegam lá!!
E quero saber de vocês, aí acontece isso de vez em quando aí também? Qual a mãe nunca cedeu a vontade do filho? Alguém diz que sim, para diminuir a “culpa” da mãe aqui…será que eu sou a única mãe que diz uma coisa e faz outra??
Beijos

Imagem do google, alguém consegue dizer não com um bebê assim?rs

Comente pelo Facebook

Leia mais!