29.jun.2012

Feliz aniversário,meu amor!

Há exatamente 2 anos atrás estava na maternidade tendo contrações e com 1 dedo de dilatação, lembro como se fosse ontem…a bolsa rompeu, eu tinha certeza que chegaria na maternidade com 7 cm de dilatação e logo teria meu parto sem dor. Ok, grávida é um ser meio sem noção, alterada pelos hormônios e toda aquela expectativa que criamos de novelas e filmes que assistimos com partos de T.V.
Foi bem diferente do que imaginei, não pude comer nada nem beber, exceto 2 pedras de gelo, pois poderia ter que fazer cesárea, caso o parto não evoluísse. A bolsa rompeu 23:10 e começaram a indução na madrugada, porém a essa hora já estava com 3 cm de dilatação e com muitas contrações, cheia de fome e cansada, pois passei a madrugada acordada. Para completar toda a cena linda, o marido comia chocookies ao meu lado e eu pirando com aquele cheiro…#vaigordinha
A escolha do parto é uma escolha muito pessoal, cada mãe tem sua vontade, a minha era parto normal, tinha medo da anestesia, de não mexer as pernas, dessas coisas de grávida sem noção… me preparei psicologicamente em minutos para a cesárea, pois não me imaginava fazendo. As 13:52 nasceu Antônio…e nasceu uma mãe, uma nova mulher, uma nova filha….
A minha vida pré filho estão guardadas numa caixinha das lembranças no fundinho, não consigo lembrar nem como eu era antes e como era minha vida, estranho, mas comum a todas as mães.
Nesses 2 anos eu eu não sei o que é ir ao banheiro sozinha e de porta fechada, não sei o que é dormir uma noite tranquila, não sei o que é comer comida quente, ou mesmo comer quando estou com fome, a minha prioridade é sempre o guri. Há 2 anos não sei o que é tomar banho quando eu tenho vontade, ou mesmo um banho demorado. Eu não sei o que é sair sem preocupação nenhuma, nem o que é pensar em mim em primeiro lugar. Há 2 anos eu não sei o que é acompanhar uma novela do começo ao fim, assistir lançamento de filme no cinema, se consigo assistir um filme inteiro é alegria geral. Não sei o que é vestir calça 38, na verdade não lembro há mais tempo, pois desde a gravidez troquei a numeração. Há 2 anos não sei o que é comprar roupas para mim sem passar primeiro na sessão infantil, ou mesmo no supermercado, sempre procuro novidades para acalmar o banho, para divertir, para fazer outra pessoa feliz!
Há 2 anos eu choro por nada, eu me coloco no lugar de toda mãe do mundo e sofro junto, ou comemoro uma vitória, mesmo que de outro filho, mesmo que eu nunca tenha visto, porque ser mãe me transformou…
Poderia citar mil coisas que eu não faço, mas poderia citar um milhão de coisas que eu faço e não fazia, um milhão de motivos para acordar muito mais feliz, somente pelo fato de ser mãe do Antônio.
A maternidade nos transforma em pessoas melhores, capazes de sentir amor e compaixão pelo próximo. Nos transforma em melhores cidadãos, querendo mudar o mundo para nosso filho e ensiná-lo as coisas boas da vida e ser uma pessoa do bem. A maternidade nos ensina que o que importa na vida são as pessoas e não as coisas, que ter saúde é mais importante que qualquer coisa e nos mostra um amor maior, que nunca imaginamos poder sentir e que cresce a cada dia.
E hoje eu só quero agradecer a Deus por nos presentear com o Antônio, um filho amado, sapeca, carinhoso, amigo, engraçado, curioso, guloso, imediatista, esperto, sorridente, alegre!
“Feliz aniversário, meu amor! Que tu seja feliz, tenha bons amigos, tenha saúde e sabedoria para escolher os melhores caminhos sempre. Conte conosco sempre, estaremos te apoiando e ensinando através de nossas experiências. A sua mãe já chorou sozinha no banho só de pensar em você, um sonho que se tornou realidade. Tu é meu tesouro, minha razão de viver e responsável por despertar em mim a vontade de ser melhor por ti, para ti …. sempre!
P.S. Eu te amo muito! “

1 dia antes do guri nascer!
1 segundo depois de nascer…eu pálida!

Depois do primeiro banho
1 mês depois de nascer
Qualquer dia desses…

Comente pelo Facebook

Leia mais!