5.ago.2016

A importância do colostro!

Uma das grandes dúvidas e mitos da amamentação é o preparo das mamas durante a gestação. A OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda tal prática, visto que o próprio processo da gravidez se encarregará desse preparo naturalmente. O melhor preparo para o sucesso do aleitamento é a informação e o desejo da mulher. 

Um mito muito forte na cultura das famílias é o do “leite fraco”. O leite materno está biologicamente ajustado às características e às necessidades de cada bebê e vai modificando gradualmente sua composição e quantidade à medida que mãe e filho vão se adaptando ao processo de aleitamento, apresentando-se na forma de colostro nos primeiros dias de vida do bebê (em torno de 5 a 7 dias), depois como leite de transição nos dias seguintes (entre o 7º e o 21º dia) e por fim, a partir da segunda ou terceira semana, como leite maduro.

O colostro, apesar de seu aspecto transparente, de cor amarelada e viscoso, é muito rico em proteínas, vitaminas e gordura; e o mais importante, possui uma alta concentração de imunoglobulinas que constituem a primeira imunização e fortalecem o sistema imunológico do recém-nascido. Além disso, o colostro é importante para a maturação intestinal, prevenir alergias e intolerância alimentar, prevenir icterícia e doenças oculares.

Ele é absolutamente capaz de alimentar o bebê até o momento em que se transformará em secreção láctea branca, fenômeno conhecido como “apojadura do leite”, que pode ocorrer até o décimo dia pós-parto. Além disso é importante ressaltar que no primeiro dia de vida o estômago do bebê é do tamanho aproximado de uma cereja (5 a 7 ml), em torno do 3º dia passa a ter o tamanho de uma noz (22 a 27ml), com uma semana de vida tem o tamanho de uma ameixa (45 a 60ml) e em torno do 1º mês chega ao tamanho de um ovo de galinha (80 a 150ml), o que explica as mamadas rápidas e frequentes, que vão aumentando a duração e diminuindo a frequência com o passar do tempo.

leite e colostro

Imagem daqui!

A rede de apoio que se forma em torno da mãe é um fator determinante para o sucesso da amamentação. O companheiro e a família são peças fundamentais no incentivo e no apoio às angústias, ansiedades, dúvidas e novidades vividas neste período, visto que a mulher irá se deparar por inúmeras vezes com situações em que os comentários e as opiniões possam ser desmotivadoras e desencorajadoras, e nesse momento o suporte familiar e\ou de um profissional com experiência em amamentação fará toda a diferença.

O processo de amamentação pode ser por muitas vezes cansativo e desafiador, mas acreditem: a recompensa será sempre maior.

Ah, amanhã tem HORA DO MAMAÇO: é um evento em homenagem à Semana Mundial do Aleitamento Materno, onde várias mamães se encontram para amamentar juntas seus bebês! Dia 06/08 no Parcão, em frente ao moinho, às 10 horas! 

beijos 

Grupo AMI  – Enfermeiras, doulas e consultoras em amamentação. Prestamos serviços individualizados de acompanhamento, apoio e orientações às mulheres e suas famílias. 

Referências bibliográficas:

  • BRASIL, Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica 23. Brasília: Ministério da Saúde, 2015
  • MARIANO, Grasielly. Socorro, eu não sei amamentar! 2ª ed. – Nova Odessa: Napoleão, Jefte, 2012
  • SARAIVA, Helena. Aleitamento Materno – Promoção e Manutenção. 1ª ed. – Lisboa: Lidel, 2010

Comente pelo Facebook

Leia mais!