4.ago.2014

Meu filho está abaixo do peso! E agora?

abaixo_peso

Você está preocupada com o peso do seu filho?? Ele está um pouco abaixo do percentil 50?

Há diversas variáveis que determinam o peso de uma criança. Ela sempre foi magrinha? O pai e mãe são magros também? Uma tendência genética é algo muito diferente de uma criança que sempre foi normal ou mais cheinha e de repente parou de ganhar peso.

Criança magra não significa criança doente!

O mais importante é saber se a criança:

* estiver bem, brincando, pulando, gritando.

* apresentar a curva de crescimento dentro do normal para sua idade, mas lembre-se que cada criança tem a sua curva de crescimento e o mais importante é que ela seja crescente.

* ganhar peso sempre, mesmo que lentamente.

* não apresentar nenhuma doença.

É super importante lembrarmos que no primeiro ano de vida, em geral a criança ganha três vezes o peso que tinha ao nascer e metade (em centímetros) do comprimento do nascimento. No segundo ano, adquire cerca de 3,5 quilos e 8 a 10 centímetros de comprimento. Do terceiro ano até à puberdade, vai mais devagar : cerca de 2 quilos e 5 a 6 centímetros por ano.

Por isso no primeiro ano de vida, o apetite é enorme porque as necessidades nutricionais são muito altas para que as metas propostas sejam atingidas. Nos anos seguintes as necessidades anuais vão diminuindo e isso se traduz por menor apetite.

Os pais precisam perceber isso para não acontecer de insistir, forçar, agradar (com guloseimas e outros alimentos engordativos ) e principalmente começa a fazer trocas como: “se comer esta colherada vamos passear, a vovó vai dar um presente, o papai vai deixar você brincar no carro, você vai crescer”.

O resultado desses erros frequentes, muitas vezes, é a obesidade no futuro

Mas então o que fazer para que meu filho se alimente melhor e ganhe peso com saúde?

* Tente desestressar nas refeições. Não force seu filho a comer quando não quer, porém prepare lanches saudáveis para que estejam disponíveis quando o apetite aparecer.

* Veja também se ele não vem enchendo a barriga só de guloseimas, sucos ou outras bebidas.

* Envolva a criança no planejamento e preparação das coisas (você pode, por exemplo, fazer a lista dos alimentos que vai comprar no supermercado e depois pedir ajuda para pegá-los nas prateleiras) e estimule assim o interesse pela comida e o ato de comer.

* Outro ponto importante é não deixar que seu filho fique tão envolvido em uma atividade bem antes das refeições, pois ele não terá nenhuma vontade de parar para comer.

* O interessante é que a partir dos seis meses a criança já entre nos horários da família.

A questão mais importante de tudo isso é que os pais se mantenham tranquilos no momento das refeições, pois se em todas as refeições o clima for tenso a criança não vai querer se alimentar.

Então tranquilizem-se!

Abraços Joci

Assinatura Email2

Comente pelo Facebook

Leia mais!