17.set.2015

MIM QUER FALAR SEU LÍNGUA! 3 dicas para entender o dialeto adolescente

Como se sabe, a adolescência é um momento desafiador, tanto para os pais quanto para os filhos (e para todos os envolvidos). É uma fase do desenvolvimento humano com muitas novidades e transformações. Tudo bem que ser mãe, ou pai, ou responsável por uma criança, proporciona ao cuidador, uma bela preparação (física e emocional) para as etapas seguintes. No entanto, acredito que todos vão concordar que tudo seria bem mais fácil se houvesse um manual de instruções. Números e palavras – indicando uma ordem e um significado – seriam como Deuses, abençoando o caminho aqui na terra. Mas, como essa é uma ideia utópica, o jeito é buscar diferentes formas de tentar lidar com a situação.

Dentre as diversas questões que surgem nesse momento de vida dos filhos, uma delas se faz bastante presente no dia a dia: o uso de um linguajar próprio e absolutamente alienígena aos pais. Não é raro que adultos, que convivem com jovens, sintam-se como índios de uma tribo distante, tentando comunicação com seres de outro planeta.

  • É da hora!
  • Como assim “da hora” menino? Já passou é da hora de você vir pra casa!
  • Ah mãe! Assim, fica embaçado….
  • … Oi?

Quem nunca passou por isso?

Mas, calma! Para – quase – tudo, há solução! Então, aqui vão algumas dicas para lidar com esse “desafio linguistico” que ser responsável por um adolescente, impõe:

            Dica 1: Aceite. Dói menos.

            Está certo que, em alguns momentos, algumas gírias podem soar como alfinetadas no tímpano de um adulto. Contudo, esse linguajar não se faz presente à toa. A gíria é importante porque permite uma ligação entre os jovens, colaborando para processos de identificação social, super relevantes para o desenvolvimento da fase. Além disso, o uso de um vocabulário próprio simboliza o desejo do adolescente de se diferenciar, o que é substancial para a organização da personalidade. Logo, o indicado é que tal linguagem seja compreendida e respeitada.

            Dica 2: Se não pode vencê-los, junte-se a eles.

            É claro que é FUNDAMENTAL orientar os filhos, no sentido de ensinar a se portarem e se comunicarem – adequadamente – diante de diferentes situações, ao longo da vida. É aquela coisa: a principal educação, vem de casa. No entanto, essa tarefa não é uma via de mão única. Ela deve permitir intercâmbios sustentados no entendimento de que, para poder ensinar, é preciso estar aberto à aprender. O que eu quero dizer com isso? Quero dizer que, para uma educação saudável e efetiva, os pais podem e devem se proximar da realidade dos filhos. E um caminho muito legal – e divertido – é buscar a “tradução” das palavras expressas pelos adolescentes, facilitando, assim, conversas e o fortalecimento da relação. Há casos, inclusive, em que os pais se apropriam de alguns termos para falar mais abertamente com os filhos. E por que não? Desde que não se percam os limites hierárquicos, os papéis de cada um, atualizar, não faz mal a ninguém.

            Dica 3: Complementando a dica 2: pesquisem!

            A internet, quando usada na medida certa, é uma ferramenta excelente para ajudar no entendimento dos filhos. Nela, podemos encontrar páginas, blogs, vídeos, artigos, enfim, espaços recheados de informação, não apenas orientando os adultos, mas, também, direcionando os jovens. É como ir direto na fonte. Não digo que façam desses recursos o principal meio de compreensão. O diálogo é, e sempre será, insubstituível! Contudo, usufruir dessas facilidades, amplia – e muito –  o  conhecimento dos pais sobre o mundo dos filhos. Portanto, parça, fica suave, dá um conferes na rede e te liga nessa dica que é monstra!

 

 Abaixo estou deixando uma lista de gírias, gentilmente, fornecidas por duas queridas adolescentes, para facilitar a nossa vida:

 

Embaçado =  Complicado

Sussa = Sossegado;Tranquilo; OK.

Suave = Tranquilo; OK.

Sensa = Sensacional.

Monstro = Legal; “Da Hora”.

Te Liga = Ficar atento.

Conferes = Conferir.

Da Hora = Da moda.

Treta = Briga; Estresse; Problema.

Brincs = Brincadeira.

Dibas = De boa.

Mozi = Amorzinho.

Deitei = “Fui muito bem” Ex: Deitei na prova de matemática!

Bolado = Triste; Desapontado; Preocupado.

Parça = Parceiro.

Migs = Amiga ou Amigo.

Pode pá = É mesmo; É verdade.

Afu = Muito.

Palha = Chato; Entediante.

Ladaia = Fofoca.

Ta na mão = Deixa que eu faço.

Beleza = Obrigada.

Balgulho = Algo.

Josnel = Alguém que fala algo besta.

Aff = Chato.

Cumpinxa = Amigo.

Dar um rolê = Passear.

Vazar = Sair de algum lugar.

Cola lá = Vai lá.

Dá um perdido = Despistar.

Larica = Fome.

Trollar = Zoar; Tirar sarro.

Shippar: Usado quando você gosta de um casal, aprova um casal.
Sensualizar = Chamar atenção de forma positiva.
Se Pá = Essa já é antiga, mas continua fazendo sucesso. Quer dizer “talvez”.
Divar = É quando você faz algo digno de uma diva.
Sua linda e Seu Lindo = Expressa qualquer coisa legal e esperada com ansiedade, como: “ Feriado, seu lindo, estou te vendo! ”.

Novinha = Essa já é clássica. A palavra novinha agora substitui a palavra menina no vocabulários dos adolescentes.
Milgrau = Você está demais! Tá “milgrau”.
Pirar = Achar muito bom, muito legal.

Até logo e Boa Sorte!

 novacolunista_JulianaNeves

Comente pelo Facebook

Leia mais!