12.jun.2013

Mordidas {Fala,Fono!}

Oi, mamães! O assunto de hoje são as temidas mordidas. Elas são uma questão que incomoda tanto quem é mordido como quem morde.
É comum em ambiente escolar recebermos bilhetinhos na agenda dizendo que seu filho sofreu uma mordida ou mordeu o coleguinha. E agora? O que fazer?
Porque meu filho morde ou está sendo mordido?
Até os 2 ou 3 anos de idade, as crianças ainda não têm a linguagem totalmente estabelecida, e muitas vezes não sabem dizer o que querem: como um brinquedo ou atenção, por exemplo. Se ela quer o brinquedo do colega ( e isso é frequente) e não sabe como pedir ou esperar sua vez para brincar, NHAC! Se quer atenção da professora, NHAC! Se o colega sentou no lugar do outro, NHAC!


Isso acontece porque nesta idade eles ainda encontram-se na fase oral, onde a boca é propicia as relações com o mundo externo. Desde o nascimento, a boca é o centro do universo infantil, pois é com ela que o bebê mantém o primeiro contato com a mãe, através da alimentação, que lhe proporciona o prazer de saciar sua fome. Em razão dessa relação de prazer, à medida que cresce leva outras coisas à boca, como as mãos e os pés. Aos poucos vai tentando saborear outros objetos e até mesmo as pessoas, na tentativa de conhecer e descobrir melhor o mundo.
Na escola, se as coisas não acontecem da forma que a criança quer, algumas vezes eles apelam para a mordida, mas isso não quer dizer que ele queira machucar o colega e sim, realizar sua vontade.

O que fazer se meu filho morde o colega?
A criança deve ser instruída, desde cedo que não é legal machucar os colegas, pois a mordida dói, deixa marcas e isso não pode se repetir.
Na escola, o ideal é tirar a criança da situação da mordida, para que ela entenda que ao morder, perderá a atividade ou a brincadeira em andamento.
Em casa, os pais devem conversar e explicar, com clareza, para que a criança entenda o porquê perdeu um tempinho da atividade ou da brincadeira e que toda vez que morder, vai perder alguma coisa. Nunca deixe de retomar o assunto em casa, mesmo que a mordida tenha acontecido ao longo do dia e você só encontre seu filho após a jornada de trabalho.
É importante que não se façam brincadeiras de “mordidinhas” com seu filho, pois ele pode entender que é normal morder para brincar e pode acabar machucando os outros, sem intenção. Brinque de “beijinhos”.


O que fazer se meu filho é mordido?
Você deve explicar para seu filho que o amiguinho não o mordeu por maldade, mas sim por não saber se expressar e que o melhor jeito de resolver as coisas é conversando. Mesmo eles sendo “pequenos”, entendem e imitam atos do dia –a- dia, então, sempre dê o exemplo da paciência.
Sugira que ele chame o amigo para brincar novamente, evitando o afastamento e as mágoas e mostre que é mais legal brincarem juntos do que separados.
Nem sempre as mordidas são “normais”!
Apesar de fazerem parte do desenvolvimento, como citado anteriormente, às vezes elas mostram algum conflito ou dificuldade que a criança esteja enfrentando, como o nascimento de um irmãozinho, separação dos pais, mudança de endereço, perda dos avós, entre outras.
É importante que escola e família estejam em constante avaliação da conduta da criança que morde, para ter certeza de que não há nada além do esperado para a faixa etária.
Caso a criança que morde esteja com comportamento agressivo ou diferente do seu normal, é importante que seja avaliado por profissional especializado.
Não esqueçam que a mordida é uma situação difícil para todos os envolvidos.

Abraço,

Taís Alves Batschauer
Fonoaudióloga
CRFª 9309/RS
Porto Alegre
Email: [email protected]

Comente pelo Facebook

Leia mais!