3.set.2013

Nós, nossos pais e os avós de nossos filhos

nossosavos

Os avós de hoje em dia são diferentes dos de antigamente. A minha mãe e a minha sogra trabalham e não podem cuidar do Antônio um turno para eu trabalhar, como era comum antigamente. Também nem sempre contamos com os avós para que nós, pais, possamos sair para jantar fora ou ir ao cinema. Claro que uma vez ou outra até podemos, mas eles deixam claro que não têm o compromisso de cuidar do Antônio !

Eu já sofri por isso, confesso. Como meus pais não moram em POA, só posso contar com meus sogros. Gostaria que eles estivessem mais disponíveis para o Augusto e eu podermos sair à noite, nos fins de semana, mas hoje entendo que eles também trabalham, e quando eu quero relaxar com o marido, é o tempo que eles também têm para relaxar. No sábado e no domingo eles fazem questão de ir para o sítio e eu compreendo.

Hoje nosso relacionamento está ótimo, e até melhor porque eu entendi que será assim. Aceitar e aproveitar como dá, esse é o segredo!

Já que a convivência com os avós é tão importante, hoje compartilho algumas dicas para que essa convivência seja feliz e tranquila!

– Perceber e aceitar o estilo de avós que eles são! Hoje em dia são poucos os que estão aposentados, a maioria dos avós trabalha tanto quanto nós, os pais. Se a sua mãe/sogra não está disposta a ficar sempre com o neto, aceite o tempo que ela tem e curta o máximo possível. Negocie alguma data especial em que quiser sair com o marido, pois com certeza poderá contar com ela eventualmente.

– Se for deixar o filho na casa dos avós, deixe uma lista com a rotina da criança, mas não determine tudo, principalmente sobre a alimentação, pois os avós adoram dar bolachinhas, chocolates e balas. Um dia na semana não faz tanto mal! Quem nunca comeu várias balas de caramelo na casa da avó?

– Filtre os palpites: saiba que todos sempre darão palpites sobre assuntos que envolvem seu filho e com os avós não será diferente. Converse com eles, para que seja uma coisa boa para todos!

– Keep calm: quando acontecer algum desentendimento, respire fundo e deixe para conversarem quando seu filho não estiver junto. Temos que deixar claro quando uma situação não nos agrada, mas temos que fazer longe das crianças!

– Deixe a porta aberta: deixe os avós participarem, se abra, aceite que você é a melhor mãe que pode ser, mas que uma ajuda é sempre bem vinda. Deixe eles participarem do que for confortável para eles, seja o banho, troca de fralda, ou dar o colinho que só os avós sabem dar!

Quando estamos em casa, sabemos que somos nós que damos os limites, e quando outras pessoas cuidam dos filhos, sabemos que eles terão uma influência externa e temos que aceitar. Por isso o diálogo é fundamental. Eles sempre são mais experientes que nós e com certeza terão bons conselhos para nos dar!

Beijos, Angi

maedeguri

 

naturamamaebebe

Comente pelo Facebook

Leia mais!