11.ago.2016

A nossa escolha em SER mais do que ter!

Lembro de quando éramos apenas nós 3 e por muito tempo não pensávamos em ter mais filhos, mesmo sempre tendo o sonho de ter 3 a 4 filhos…

Tive depressão pós parto, nos mudamos algumas vezes, não tínhamos condições financeiras, acredito que por todos esses fatores é que nem pensávamos em mais filhos! Mas curtimos muito e fomos muito felizes sendo nós 3! Fizemos algumas viagens, estávamos sempre com nossos amigos, fomos muito felizes! 

A vontade só bateu quando Antonio tinha quase 3 anos… Tínhamos acabado de voltar de Fortaleza para Porto Alegre, estávamos de volta perto da família (apesar dos meus pais não moraram em Porto Alegre)!

Nunca quis ter mais filhos, pois me sentia incompleta ou porque não estava satisfeita com um filho… De um dia para o outro eu simplesmente queria muito mais um filho, mesmo me sentindo completa e infinitamente feliz com um filho! Coincidentemente o marido também queria muito, pois nem sempre é assim, então engravidamos!

Temos que ter em mente que se quando o casal quer filhos já é cansativo e muito difícil, quando um não quer, é ainda mais difícil, por isso que tem que ser uma decisão do casal!

Depois da chegada do Caetano eu tive a certeza que queria mais filhos!

Por que?

Porque quero e amo casa cheia! Porque tudo ficou mais simples para mim! Porque simplesmente caiu a ficha para mim que não preciso de mais coisas, que um filho é caro, claro, mas que não precisamos de tantas coisas que achava que precisava quando tinha um filho!

Nós somos como a maioria dos brasileiros, somos batalhadores e adaptamos nossa realidade para termos 3 filhos! É difícil? É! Mas temos certeza que fizemos a escolha certa! Não viajamos para a Disney todo ano, como algumas amigas, mas estamos nos organizando para irmos um dia. Os guris não tem tudo que gostariam, mas ensinamos para eles que o mais importante é ter família unida e feliz, que é muito melhor SER do que TER!

Lembrando que cada família deve avaliar o que é importante para ela e decidir com sabedoria! Nós não abrimos mão de escola boa (não a melhor e mais cara), nem de plano de saúde, então isso está nos nossos planos, para termos mais um filho, avaliamos se poderemos pagar o que consideramos “básico”. 

Tem dias que da vontade de fugir, porque não dou conta de tudo e ainda não podemos ter empregada, mas apesar das dificuldades, nos fortalecemos e nos unimos mais, e sabemos que é uma fase, que vai passar!

Se aos 27 anos, quando Antonio nasceu, eu tivesse escrito uma carta para a Angi de 32, nunca teria sonhado que hoje teria 3 filhos, um maridão que é o melhor pai que poderia desejar para me ajudar a educar e amar os filhos, uma família tão abençoada!

Hoje tenho certeza que estamos aonde deveríamos estar, que as dificuldades nos tornaram quem somos, afinal quando não é benção é lição, é nas dificuldades que aprendemos as maiores lições!

Beijos

Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!