24.set.2015

O dia em que surtei com o mundo!

Faz dias que me sinto a ponto de explodir! Não sei se é esse clima, se é a ausência do sol no sul, se é TPM, se é a crise no Brasil, o aumento dos impostos, a alta do dólar, a correria da vida, uns dias sem ir na academia, se sou eu, ou tudo junto, mas ontem foi difícil de me controlar!

Sou super POSITIVA, não gosto de procurar/compartilhar desgraça, vejo sempre o lado meio cheio, não o meio vazio. Dou valor as coisas simples, dou risada mesmo na M, não preciso de muito para ser feliz, mas sou humana e tem dias que não aguento toda a pressão… É muito difícil ser mãe, esposa, dona de casa, trabalhar em casa, porque com as crianças em casa, ou eu deixo eles de lado, ou trabalho enquanto eles dormem. Aí viro uma zumbi, ainda mais acordando umas 3 vezes por noite para amamentar ( sei que é minha escolha, sei que passa rápido, mas estou exausta na velocidade 5 do créu!). Ser mãe em tempo integral é uma maravilha, na maior parte do tempo, mas não ter um tempinho para si é muito punk, não há saúde mental que aguente! O Antônio vai para a escola, mas o Caê ainda não vai, quando ele dorme eu faço tudo que consigo, mas ultimamente não consigo fazer muita coisa, às vezes mal consigo tomar um banho, então me sinto super mal, é inevitável a culpa. 

Sou daquelas pessoas que quando “surta” precisa desabar, colocar para fora, gritar, para me reequilibrar! É impressionante, mas se não desabafo, fico até com dor de garganta, por não falar, não colocar para fora. Não me orgulho disso, mas sou assim, tenho que me aceitar e respeitar o que meu corpo pede, claro que sem surtar com os outros, né? Mas tem sido tão difícil… 

Ontem a noite perdi a paciência com tudo e todos! Meu pai veio nos visitar, o maridão foi para o jogo e tinha que entregar um trabalho. Sei que precisamos desses momentos para nos reequilibrarmos, super entendo a necessidade do maridão em curtir o time dele, mas ontem eu queria que ele tivesse a sensibilidade e não fosse para o jogo, queria que ele ficasse em casa, cuidasse dos guris, para eu entregar o tal trabalho. Porém ele foi no jogo e aí começou meu mau humor… fiquei P da vida, fui grossa com meu pai, gritei com os guris, morri de ódio de mim mesma por não me controlar, morri de vergonha das vizinhas pelo surto, chorei, me culpei, queria fugir, sumir no mapa, mas prometi para mim mesma que NUNCA MAIS VOU SURTAR desse jeito!! 

Estou precisando uns dias no mato, tomar banho de cachoeira, abraçar uma árvore, ficar sem ver T.V., ler jornais, e me conectar comigo mesma e não deixar me estressar pela vida louca que vivemos! Estou me sentindo muito envergonhada ainda, ontem foi punk, gurias, só queria um abraço amigo, alguém que me entendesse, mas não tive. Quando a mãe perde a paciência todo mundo nota, mas quando perde a noite, perde a saúde mental, só precisa de um abraço, um apoio, ou um banho quente, ninguém percebe, né? Não quero ficar de mimimi, mas precisava desabar para não ficar com dor de garganta, hahaha e para ganhar abraços virtuais de vocês!!  Hoje acordei me sentindo ainda um tanto culpada, pedi desculpas para todos, e me desculpei, afinal sou humana e tenho muito o que aprender. No próximo surto, ao invés de gritar com o mundo, eu me mudo, para uma casa com quintal e cachorros no interior…

Beijos

Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!