27.jun.2013

O superpoder de uma mãe!

superpoderdemae

Há anos atrás eu sonhava com o dia em que me tornaria mãe, mas não imaginava como seria. Estava com uma barriga linda, mil sonhos na cabeça e expectativas de como seria ser mãe! Hoje nem consigo lembrar como era minha vida antes do Antônio. É como se tivesse tido uma amnésia (parece que é comum a todas as mães) e esquecido da vida antes de ter filho, até porque ela não tinha a menor graça.

São quase 3 anos de um misto de sentimentos, de choro fácil, sorriso também e amor infinito. E nesses quase 3 anos de noites mal dormidas, de refeições frias, de dias inteiros de moletom, pantufa e rabo de cavalo, de banhos de 2 minutos, idas ao banheiro acompanhadas do filho, sem acompanhar uma novela do começo ao fim, ou fazer as unhas, muito menos de entrar nas minhas calças 38, eu me transformei!

Hoje percebo que meus valores são outros. A minha vida e o que acontece no mundo tem a perspectiva do olhar materno.

Meu avô me contou uma vez que ficou órfão de pai aos oito anos e já começou a trabalhar vendendo doces que sua mãe fazia para sustentar cinco filhos pequenos. Na época, há mais de 80 anos, o açúcar era um artigo caro e essencial para a continuidade do trabalho da família e então, para ele, o preço do açúcar passou a ser referência para tudo. Ele precisava vender o suficiente para comprar o ingrediente para produzir mais doces e, a partir daí, sobreviverem. É como se o Antônio agora fosse o “açúcar da minha vida”: tudo gira em torno dele.

Agir assim não é uma atitude egoísta ou egocêntrica: eu e meu filho e só. A maternidade é daquelas situações que nos transforma em pessoas melhores, praticamos a empatia diariamente, nos colocando no lugar do próximo, aprendendo muito e ensinando um pouco também. Quantas vezes, durante o dia, nos perguntamos em determinada situação: “e se fosse meu filho?” As mães têm o dom de se colocar no lugar de outras mães. Elas tendem a se ajudar, como muitas vezes nos ajudamos aqui no blog.

Quando nos tornamos mães, sabemos que somos o primeiro exemplo de nossos filhos. Então nos reinventamos, mudamos velhos hábitos que não queremos que nossos filhos tenham, seja na alimentação, na pratica de uma atividade física, ou mesmo abandonando alguns vícios bem ruins, como o do cigarro, por exemplo.

De todos os aprendizados que temos, a maternidade é que nos ensina que o que importa na vida são as pessoas e não as coisas que temos e que ter saúde é mais importante que qualquer coisa no mundo! Sentimos um amor infinito, que se multiplica a cada dia e que nunca antes imaginamos poder sentir!


Beijos

Angi

naturamamaebebe

maedeguri

Comente pelo Facebook

Leia mais!