1.set.2015

Organizar educando

Sabemos o quanto é desafiador manter a “ordem no caos” em que podem se transformar o quarto dos pequenos, especialmente quando eles já começam a engatinhar e logo caminhar,  explorando cada cantinho que estiver ao seu alcance. Não se trata de apenas manter tudo organizado, mas sim de permiti-lo brincar e consequentemente aprender de forma tranquila e segura.

Na internet, se buscarmos por organização de quartos infantis” teremos infindáveis listas de sugestões sobre o assunto, o que pode ser bastante útil. Mas neste texto, procurei trazer, algo além da organização por si só, mas sim sugestões de como organizar o espaço e ainda ajudar no desenvolvimento das crianças.

Em minhas pesquisas sobre espaços infantis, constatei que é possível e extremamente proveitoso aos pequenos, se utilizar das  abordagens pedagógicas como a montessoriana, reggio emillia, waldorff, entre outras tantas e adaptá-las ao ambiente da casa.

Todas estas linhas pedagógicas possuem características em comum como a autoeducação, o desenvolvimento da autonomia,  a flexibilidade dos espaços (que ele possa ser facilmente modificado) e a utilização da arte, dos brinquedos e brincadeiras, como formas de aprendizagem.

O mais bacana é que não se trata de necessariamente “comprar” móveis e equipamentos caros, pelo contrário, são extremamente simples e de fácil aplicação. Também podemos utilizar uma ou mais idéias, sem ter a necessidade de que seja 100% uma ou outra metodologia. Então minha sugestão é, otimizar espaços mas tornando-os mais amigáveis de forma que a criança seja o protagonista e tenha acessibilidade ao uso dos mesmos.

Elegi então, algumas dicas para organização do quarto para crianças de 0 a 6 anos, considerando abordagens pedagógicas. São elas:

  1. O quarto deve ser bem organizado, agradável e seguro para que a criança possa explorá-lo.

01 (3)

2. Não utilizar  baús ou caixas muito grandes para colocar todos os brinquedos desordenadamente. Isto causa a sensação de desordem. Privilegie as estantes baixas para dispor livros e brinquedos. Organize os brinquedos e jogos em caixas adaptadas de preferência transparentes; use etiquetas que identifiquem o que há dentro das caixas ou cestos. Disponibilize poucos brinquedos e que correspondam à etapa de desenvolvimento da criança e adote o rodízio.

03 (1) 02 (2) 04 (1) 05 (1)

3. Cômodas e gavetas devem estar na altura da criança para que ela consiga olhar o que tem dentro e possa vestir-se sozinha. Etiquetas também ajudam a criança a compreender o que tem dentro das gavetas.

06

Este é um bom exemplo de como mesclar soluções.Um armário convencional, mas onde houve a  intenção de que a crinça possa manipular a parte inferior, ao invés de de deixar todo o cabideiro no alto.   A cômoda-trocador, já foi pensada para ser um guarda roupas numa fase posterior.

07

4. Instalar um pequeno porta-casacosna altura da criança e se possível um espelho. Para bebês, o espelho deve estar na horizontal; para as crianças maiores que já conseguem ficar em pé, o espelho deve ser fixado na vertical. Use a criatividade, pois os ganchos podem ser feitos a partir de diversos elementos que você já tenha em casa.

08 09

5. Montar uma galeria de arte, com trabalhinhos feitos pelos pequenos artistas. As figuras podem ser emolduradas, fixadas ou mesmo penduradas por algum tempo e logo substituídas por novas.

10 (2) 11 (2) 12

6. Utilizar carrinhos com rodas, para organização de material de troca de fraldas numa primeira etapa e posteriormente este se transforma em porta material de arte. Desta forma o “pequeno artista” poderá exercitar facilmente seus talentos em outras partes da casa, usando o  material que desejar, sem espalhá-los ou separá-los dos demais.

13 (1) 14

O mesmo carrinho organizador serve para etapas diferentes. Neste caso foi comprado pronto, mas pode ser perfeitamente feito de outro material como mdf ou de material reciclado.

Espero que tenham gostado das dicas, mamães!

Até o próximo post.

Abraço

Luciane Boeno

novacolunista_Lu

 

 

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!