10.jul.2013

O pai do guri em casa!

importanciadopai

Ilustração feita pelo SETE CORES Atelier!

A gente sempre quis ter filhos. Logo que casamos já começamos a sonhar com o nosso bebê. Mas também tínhamos planos de curtir um pouco a vida e, principalmente, sentir a liberdade e a independência da vida de recém-casados. Nós dois tínhamos morado, até então, com os nossos pais.

Dois anos depois, achamos que já podíamos pensar mais sério no assunto e começamos a fazer planos. Nós dois trabalhávamos, a situação financeira era boa, embora ainda não tivéssemos realizado o sonho da casa própria.

Mesmo sem termos tudo o que queríamos, nos organizamos, nos planejamos, e quando achamos que nossa vida estava estável e que era o momento de ter filhos, começamos as tentativas. Logo depois do primeiro mês tentando, veio o resultado positivo e a nossa vida mudou!

Curtimos muito a gravidez. O marido foi super presente: me acompanhava às consultas e aos exames. Fizemos curso preparatório para pais, onde esclarecemos dúvidas e nos preparamos (na teoria) para sermos os melhores pais que poderíamos ser!

Para mim foi super importante ter um marido amoroso e paciente, pois a gravidez me deixou muito mais sensível.

O que não imaginávamos é que um pouco antes do nascimento do Antônio o meu marido estaria desempregado. Foi um choque!

Mas que surpresa! Meu marido teve uma reação maravilhosa! Decidiu que o inesperado teria um propósito maior: naqueles primeiros meses, ele poderia curtir o filho e ser um pai mais presente, além de um marido ainda mais dedicado.

Assim, papai foi o primeiro a dar o banho no Antônio, na verdade, deu o primeiro, segundo, terceiro… durante o primeiro mês inteiro, porque eu estava com dores da cesárea…E até hoje a hora do banho é com o pai, um momento só deles! Além do banho, o papai revezou muitas noites com a mamãe, ele pegava o Antônio, eu amamentava e ele fazia arrotar e trocava as fraldas!

Hoje nem lembramos das dificuldades e só ficam as boas lembranças. Temos certeza que esses meses com o pai em casa foram super importantes para o vínculo da nossa família, tanto do Antônio com o pai, quanto de nós 3.

E agora, quando ele chega do trabalho, por mais cansado que esteja, sempre é hora de contar histórias e brincar. Nós dividimos responsabilidades e as coisas boas que os filhos proporcionam.

E por aí gurias, como é o relacionamento do pai com os filhos?

Beijos, Angi

naturamamaebebe

maedeguri

Comente pelo Facebook

Leia mais!