6.fev.2018

“PARKOUR”: é assim que as mães “enxergam” o que os filhos fazem na faixa etária de 4 a 5 anos de idade

Você sabe o que é “PARKOUR”? Tive contato com essa palavra, ou melhor, esse esporte/treinamento, quando meu filho não parava de pular de um lado para o outro. Quando eu o questionava sobre o que ele está fazendo, ele me dizia: “Parkour, ué!” E… a cada manobra, meu coração acelerava…

PARKOUR é um treino de transposição de obstáculos do ambiente, como escalar muros, equilibrar corrimãos ou saltar sobre vãos. Sendo mais claro: aquilo que você vê seu filho (que não tem noção de perigo!) fazendo…. Brincadeiras a parte, mas a sensação de uma mãe, com crianças na faixa etária de 4 a 5 anos é a mesmo de ver um adolescente/adulto praticando parkour (procure no Youtube… só um alerta: talvez você não consiga ver o vídeo até o final!!).

Nessa idade, muito embora o desenvolvimento global esteja em plena ascensão, as crianças se arriscam, sobem em tudo, querem pular e parecem não ter a mínima noção do perigo… o que mais escutam são: “Desce daí… vai se machucar… cuidado!” (PS: Alguém se identifica?). Mas acontece que subir, escalar, correr, pular fazem parte do aprimoramento das habilidades motoras ampla da criança… aguenta coração!!

Veja o que uma criança, entre 4 a 5 anos de idade, já pode fazer para aprimorar seu desenvolvimento motor:

  1. Fica em um pé só, sem apoio, por quatro a oito segundos;
  2. Muda de direção ao correr;
  3. Anda sobre um “meio fio” mantendo o equilíbrio;
  4. Pula para frente dez vezes sem cair;
  5. Salta sobre uma corda, suspensa a 5 cm do solo;
  6. Pula de costas seis vezes;
  7. Rebate e apanha uma bola grande;
  8. Une dois a três pedaços de massa de modelar;
  9. Recorta em torno de linhas curvas;
  10. Encaixa objetos de rosca;
  11. Desce escadas alternando os pés;
  12. Pedala um triciclo, fazendo curvas;
  13. Salta em um só pé, cinco vezes consecutivas;
  14. Recorta um círculo de 5 cm;
  15. Desenha figuras simples, facilmente identificáveis como casa, homem e árvore;
  16. Recorta e cola formas simples.

Assim, o “parkour” da infância é naturalmente observado….

É importante ressaltar que serão apontados comportamentos “esperados”, de acordo com literatura da área de desenvolvimento e que diferenças individuais podem ser detectadas. Não se tem o objetivo de “normatizar” as atitudes da criança, mas sim, sinalizar O QUE ELA JÁ É CAPAZ DE APRENDER. Assim, ao observar seu filho e verificar que ele não apresenta algum aspecto apontado, NÃO SE DESESPERE!! Utilize essas informações para ensinar e treinar novas habilidades!! E, na dúvida, procure um especialista!

Ana Paranzini é Psicóloga (CRP 08/09142), com Mestrado em Psicologia Clínica (PUCCAMP) e atua em Orientação de Pais. Idealizadora do Programa on line ADEUS BIRRAS e do Programa on line de ORIENTAÇÃO DE PAIS – Quando eu mudo… meu filho se transforma, que já ajudou e está ajudando muitas famílias a educarem seus filhos de maneira efetiva e prazerosa. Você conhece? Acesse a FanPage Ana Paranzini.

Fonte: O Inventário Portage Operacionalizado: Intervenção com Famílias. Lúcia C. A. Williams e Ana Lúcia R. Aiello. Editora Memnon,

Comente pelo Facebook

  • Luisa Bertozo

    Sou a mamãe de um garotão chamado Lucca li o artigo e me identifiquei muito. O Lucca é super agitado, uma criança super esperta que adora inventar novas brincadeiras que por vezes me deixam de cabelo em pé! Um dia no parque aqui perto de casa ele caiu do escorregador e bateu com a cabeça, foi um baita susto! A sorte que não aconteceu nada mais grave, mas depois desse dia fiquei preocupada com a possibilidade de acontecer novamente e tomei a decisão de nos precaver. Descobri um aplicativo de rastreamento gratuito que me permite que eu ouça e acompanhe tudo o que acontece com ele em tempo real, comprei um relógio com GPS e instalei o app https://findmykids.org/blog/pt-br/melhor-aplicativo-para-monitorar-seus-filhos, gosto da facilidade e a segurança que me proporciona caso algo ocorra com meu filho ele pode emitir um sinal de S.O.S, e vem direto o aviso para mim.

Leia mais!