6.jul.2011

Perguntas e respostas

Na vida eu não gosto de perguntas sem resposta, ainda mais hoje em dia, com internet, google, não tem por que ficar sem resposta, estou certa? Nãoooo, estou errada… Quantas vezes no dia a dia, acontecem situações que gostaríamos de dar aquela resposta, e não sei por que cargas d’água, não respondemos e ainda damos o sorriso amarelo clássico de pessoas sensatas, sabem? Aposto que vocês são craques nesse sorriso!
Da lista de perguntas que ficaram sem respostas, tem algumas que tenho que compartilhar com vocês:
* Você super grávida(tipo8 meses) no ônibus, em pé, com mochila nas costas, sacola de comidinhas naturais, frutas, e água, até que alguém se toca e fala: ” Você está grávida? Quer sentar aqui?” Não basta tu ter que sentar naquele banco quente (odeio banco quente em ônibus…rs), ainda tem que se comportar, e agradecer. Sendo que a vontade é de dizer:” Não estou grávida, acordei assim hoje pela manhã, não sei se foi a melancia que comi, ou a azeitona na janta!” Mau humor de grávida? Não, né…como assim ? Depois de um tempão em pé, a pessoa ainda pergunta se está grávida. Posso contar o número de pessoas que me perguntaram se estava grávida, na fila de lotérica quando estava na preferencial, ou de lojas, ou de mercado…affe!
* Ainda uma de grávida, eu um dia antes do Antônio nascer, sentada no ônibus, voltando do meu convênio, para dar a entrada na papelada de parto, caso fosse necessária uma cesária, ônibus bombando, jogo do Brasil, eu sentada do lado de uma senhora, marido em pé longe sem saber do bate papo sem noção no busão. A senhora começa a perguntar do sexo do baby, e deseja sorte, e conta da neta que nasceu sem ânus. Que ela teve que ficar até 1 ano com uma bolsinha para poder operar depois, que a filha dela achava que a gravidez ia ótima, até que nasceu com esse probleminha, mas que graças a Deus existe solução, e ela está ótima(a neta) porque eu fiquei com cara de pavor! O que é isso? Já bastava todas as neuras da cabeça de uma mulher grávida, que vocês sabem muito bem, vem essa senhora (louca…né) me contar mais um que eu nem imaginava! Saí quase chorando, e falando para o marido. Será que as pessoas não tem coisas boas para contar, dividir? Obrigada por me apavorar, senhora, eu nunca esquecerei de você(cancerianas não esquecem…rs)!
* Agora a última, mas não menos sem noção que as outras. Eu fui na ferragem comprar um estendedor de parede para o apê, e a esposa do dono estava na lojinha. Ótimo, adoro mulheres na ferragem, pena que ela não tinha tomado o remédinho do dia, tenho certeza disso. Ela hiperativa, talvez seja mesmo, não tenho certeza, começou a querer puxar assunto, pergunta do Antônio, ai que amor o bebê. Daqui a pouco fala, que linda menina! CÉUS, O GURI TODO DE VERDE MUSGO, TÊNIS DE HOMEM, CARRINHO AZUL…E CARA DE GURI, e a mulher fala menina!COMOASSIM? Eu a corrijo, e ela continua empolgada chamando ELE de ela…carvalho(sou boca suja, pimenta em mim já), além de dodói ela é surda! Desisto do estendedor, e de tentar falar que o Antônio é ele, e volto para casa!
E por que depois de todas essas situações bizarras a gente sempre pensa em alguma resposta? Na hora, a gente dá o clássico sorriso amarelo! Eu mesmo falando o que penso, falo mais o que penso para quem tenho intimidade, e na hora fico tão chocada que nem falo…Por que é tão mais fácil falar o que pensamos para as pessoas “de casa”? E por que certas pessoas não tem esse cuidado que temos, e falam o que pensam sem serem perguntadas?
Já aconteceu muitas situações sem noção com vocês?
Compartilhem, e me contem, vamos rir juntas!
E se vocês conhecerem as pessoas sem noção da história, me falem o nome que prometo dar os créditos!rs
Beijos

Comente pelo Facebook

Leia mais!