24.out.2011

Porque mãe também é mulher…

Boa tarde, bela tarde, mesmo com nuvens no céu e um bafo daqueles que é chuva na certa. Hoje estou bem feliz porque tirei um tempo para mim, não foi nem um tempo, nem um final de semana sequer, na verdade, não chegou a ser um dia, mas o programa rendeu e me fez relembrar os velhos tempos, a amizade e me reencontrar!
Sempre fui de falar que temos que ter um tempo para nós. Claro, porque a teoria é linda, e cá entre nós, a teoria é amiga das mães, que tudo sabem, tudo leem, tudo pesquisam, mas muitas vezes, nada fazem.
Eu sou uma dessas, que sabe a pratica , e não segue sempre!!
Um tempo para a mãe ser mulher é essencial na vida pós filhos. Assim como um tempo para o casal, mas abafa porque essa pratica está pior ainda…rs e volto a falar disso futuramente. 
Vamos praticar a empatia? Se coloquem no meu lugar e não me julguem, por favor. Eu não tenho carteira de motorista, não moro na cidade das minhas amigas da vida, meus pais moram hiper longe. Minha irmã se separou e tem filho para cuidar, a madrinha é minha melhor amiga, então qual a moral de deixar o Antônio com ela, se vou ver ela mesmo? Sem contar que sou dona de casa e a casa sempre precisa de mim, e sou canceriana, sempre falo, mas sabe como é, não existe lugar melhor que nossa concha.
Então, se colocaram no meu lugar? Então sair é um pouco complicado, eu sei que quando queremos muito algo, nós fazemos, esse é mais um exemplo na teoria, porque na pratica não é beeem assim.
Chega final de semana sempre tem coisas para fazer em casa, e se não tem eu invento…rs Sempre falo que gostaria de ver as amigas, mas como adulta que sou, entendo que cada uma esteja numa fase diferente e por mais que não entenda muito bem, me conformo que a maioria delas tenha sumido. Então meu programa tem que ser com amigas que tem filhos, porque só quem é mãe entende que programa em dia de semana é difícil, mas que no final de semana é impossível, pois a gente quer curtir a família, não é verdade?
Até que, como eu sempre falo, tudo tem a sua hora, quase 1 ano e quatro meses depois do nascimento do Antônio, eu consegui tirar uma noite para me encontrar com uma amiga.[ \0/ \0/ \0/ ]
Não foi tudo isso, porque ela estava com o filho, Lorenzo, guri lindo, e não podemos beber como mães cheias de nostalgia do tempo que podia beber e dormir até sabe-se lá que horas… Nos encontramos as 18 horas, tomamos chimas,revi uma amiga da adolescência, e fomos no super comprar as bebidinhas. Conhecemos um cara demais, chamado Renato, gentil, simpático, e super atencioso, nos ajudou com as bebidas e ainda experimentamos vinho, e espumante lá mesmo, com direito a brinde. (Renato querido, voltaremos no super para dar o feedback das bebidas, o espumante muito delícia e aquela rose, que não sei se era vinho ou espumente deu para tomar…
Chegando em casa, Lorenzo dormiu e tivemos tempo de botar o papo em dia, ao som de U2 e músicas bregas. Bebemos espumantes, comemos pizza (projeto verão sem canga 2013 está super bem), e uma cerveja para finalizar e embrulhar tudo. Ainda não sei como, mas dormimos quase 4 da manhã…
Lógico que as 8 da manhã já estava acordada e quase sem sono, eu virei um relógio desde que o guri nasceu, por mais que queira não consigo dormir horrores. Tomamos café, e papeamos mais um pouco. Pelo meio dia fui para um churras,era aniversário de uma tia querida!!
Foi a primeira vez que dormi longe do Antônio, sabia que se pensasse muito nisso, não aproveitaria. E deu tudo certo, ele ficou bem com o pai, e eu me diverti bastante. Até o marido ligou dizendo que ser pai solteiro deve ser difícil…(não deu pena…hahaha
É isso aí, na teoria, a mãe também é mulher e deve sim ter um tempo para se divertir com as amigas, na pratica é mais difícil, mas sair da concha faz bem…
E vocês, tem tirado um tempinho para as mulheres que habitam esses corpitchos de mães?
Beijocas

Se for dirigir não beba! Imagem daqui!