31.mar.2016

Principais dúvidas sobre a nova epidemia da gripe

Muitas leitoras me pediram post sobre H1N1 e a Dra. Fernanda Freire, pediatra em São Paulo, e autora do blog seupediatra.com esclareceu o assunto aqui no Blog! Ela atende em São Paulo e se vocês quiserem receber informações sobre as consultas com a Dra. Fernanda clique aqui.

A epidemia da gripe começou mais cedo esse ano e pegou todo mundo desprevenido. Ninguém esperava que nessa época do ano já tivessem tantos casos registrados e tantos casos graves. Já foram registrados mais de 49 casos de óbitos por causa do vírus da gripe, o vírus Influenza. Por isso, todo cuidado é pouco.

Vamos entender um pouco mais sobre a gripe, sobre as vacinas e as outras formas de se proteger.

O que é a gripe H1N1?

O H1N1 é um subtipo do vírus da gripe ou Influenza A. Aquele mesmo que causou a epidemia de gripe suína em 2009. E o causador dessa epidemia atual. A diferença entre essa gripe e a gripe comum é a intensidade dos sintomas e chances de complicação.

Quais os sintomas da gripe?

Os sintomas da gripe comum e da gripe H1N1 são semelhantes, e se apresentam como febre repentina (acima de 38°C), dor de garganta, associado a dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações, coriza e falta de apetite.

Essa tabela separa um pouco os sintomas, mas eles são muito parecidos e pode ser difícil diferenciar os casos só pelos sintomas.

sintomasgripe

Como a gripe é transmitida?

A transmissão ocorre de uma pessoa para outra pelo contato com secreções respiratórias, partículas de saliva, tosse ou espirro. E também é possível a transmissão pelo contato indireto, pelas mãos ou superfícies contaminadas, quando a pessoa toca em um objeto e depois outra pessoa vai lá e toca também e coloca a mãos na boca ou coça os olhos, por exemplo.

Qual a diferença entre a vacina do SUS e a vacina na rede particular?

Existem dois tipos de vacina contra a Influenza:

  • A trivalente, que protege contra 3 tipos de vírus: 2 tipos de Influenza A (o H1N1 e o H3N2), e contra 1 tipo de Influenza B.
  • A quadrivalente ou tetravalente, protegem contra 4 tipos de vírus: 2 tipos de Influenza A (iguais a trivalente), e outros 2 tipos de Influenza B (1 a mais que a trivalente).

As vacinas atuais, tanto trivalentes quanto quadrivalentes, já podem ser encontradas na rede privada. Na rede pública ainda não começou a campanha, e quando começar será da vacina trivalente. A campanha oficial começa dia 30 de abril, mas provavelmente será adiantada, como já foi anunciado em alguns estados.

Algumas cidades que já tinham adiantado a campanha de vacinação, estão usando as vacinas do ano passado, para prevenir o H1N1, que é o mais frequente agora. Mas depois essas pessoas terão que tomar a vacina de 2016, para se proteger dos outros tipos.

É melhor esperar a campanha ou já tomar a vacina?

Como a proteção não é imediata, quem puder já tomar a vacina é melhor. Converse com seu pediatra para saber o que ele recomenda no seu caso e na sua região.

A partir de que idade seu filho pode tomar a vacina da gripe? Quantas doses são?

As crianças podem tomar a vacina a partir dos 6 meses de idade. Para quem tem menos de 9 anos e nunca tomou a vacina da gripe antes, são necessárias duas doses. Para os maiores de 9 anos, ou os menores de 9 anos que já tomaram a vacina em anos anteriores, apenas uma dose é necessária.

Após tomar a vacina, quando meu filho está protegido?

Depois de tomar a vacina, leva em torno de 14 dias para começar a produção dos anticorpos, e em 4 a 6 semanas é que tem o máximo da produção dos anticorpos, então a partir daí é que quem tomou a vacina está protegido. Ainda assim, a eficácia da vacina é de 70 a 90%, ou seja, mesmo quem tomou a vacina pode sim pegar a infecção.

Além disso, a proteção é apenas contra os tipos mais frequentes da gripe, então, não impede totalmente que a pessoa não tenha gripe, mas diminui muito o risco.

A imunidade dura cerca de 8 meses a 1 ano, por isso que mesmo quem tomou a vacina do H1N1 no ano passado, precisa se vacinar de novo. E os outros vírus sofreram modificações.

Além da vacina, quais as outras formas de prevenir a infecção pelo Influenza?

  • Lave bem as mãos com água e sabão e utilize álcool gel com frequência
  • Evite colocar as mãos nos olhos, boca e nariz.
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, alimentos, copos, toalhas.
  • Cubra a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar
  • Evite locais fechados e com muitas pessoas presentes.
  • Aumente o consumo de água;
  • Evite beber água em bebedouros públicos. Utilize copo ou garrafa plástica de uso pessoal.
  • Faça uma dieta balanceada rica em frutas, legumes e verduras;
  • Não use medicamentos sem orientação médica;
  • Em caso de sintomas suspeitos, procure prontamente o médico para correto diagnóstico e tratamento.

Como é feito o diagnóstico da gripe?

O diagnóstico da gripe é clínico, feito através da história e dos sintomas que o paciente apresenta. Em alguns hospitais e unidades de saúde é possível confirmar a infecção através de um exame simples que coleta um pouco de secreção no nariz.

Qual o tratamento que existe para a gripe?

Existe um tratamento específico para a gripe, com remédio que ataca o vírus, mas o tratamento deve ser iniciado nas primeiras 48 horas após aparecerem os sintomas. Se iniciado depois desse tempo o remédio pode não conseguir o efeito desejado. O tratamento com esse remédio tem duração de cinco dias e está disponível também no SUS.

Os outros remédios tratam apenas os sintomas, e o tratamento inclui hidratação, antitérmico e repouso.

Quais as complicações da influenza?

As principais complicações da gripe são as complicações respiratórias, que podem acontecer pelo próprio vírus ou por infecções causadas por outras bactérias que se aproveitam da situação e causam pneumonia.

Nos casos com complicações graves, são necessárias medidas de suporte intensivo.

ATENÇÃO – A gripe tem ocupado os noticiários nos últimos dias, mas os casos de Dengue e de Zika não desapareceram. Continue se protegendo do mosquito também.

Beijos,

Dra. Fernanda Freire

Pediatra em São Paulo

www.seupediatra.com

Comente pelo Facebook

Leia mais!