16.maio.2017

Quando eu mudo…. meu filho se transforma!

Quando eu mudo,meu filho se transforma! (1)Reflexões acerca do papel dos pais na mudança comportamental dos filhos.

Os pais são os primeiros e o mais importante professor de seus filhos. É na relação com a família que a criança tem suas primeiras interações sociais e aprenderá como se comportar no mundo. A responsabilidade de bem educar um filho recaí sobre a família.

Quando nasce uma criança, nasce também um pai e uma mãe, com desejos e expectativas sobre a maternidade. A criança, como muitos dizem por aí, “não vem com Manual de Instruções” e o cuidador precisa aprender como conduzi-la. Os pais reproduzem com seus filhos a maneira como foram educados ou, se isso lhe for aversivo, eles eliminam algumas práticas. Algumas famílias educam pelo bom senso, outras pela “intuição”, outras ainda por tentativa e erro! O fato é que não fomos ensinados a SER PAIS!

Educar uma criança é uma grande responsabilidade e exige dedicação, sabedoria e muito amor. As habilidades parentais se assemelham a aprendizagem de habilidades desenvolvidas como em qualquer curso superior ou de formação profissional. O pai e a mãe também não nascem sabendo ser pai e mãe. Mas eles podem e devem aprender sobre o universo infantil para que sejam capazes de perceber que a maneira como os filhos são criados tem efeito imediato e duradouro no desenvolvimento da criança.

O comportamento da criança (seja ele adequado ou inadequado) tem estreita relação com o comportamento do cuidador, ou seja, aquilo que a criança faz ou deixa de fazer está relacionado ao comportamento dos pais e as consequências emitidas. O cuidador é o responsável por ensinar a criança sobre as coisas do mundo e a como se comportar nele.

Quando uma criança se comporta de maneira inadequada e é encaminhada para psicoterapia, os pais são convidados a participar ativamente desse processo, pois eles são os “agentes de mudança comportamental dos filhos”. Quanto menor a criança, mais os pais precisam ser orientados sobre como conduzir suas práticas. O ambiente da criança é amplo demais e para que as orientações sejam realmente efetivas, os pais precisam mudar a maneira como se relacionam com seus filhos no dia-a-dia.

O tempo que passam junto aos seus filhos é significativamente maior e com mais situações a intervir. Ao atuarem como agentes de socialização dos filhos, os pais utilizam diversas estratégias e técnicas adequadas, orientadas pelo profissional e denominadas de práticas educativas parentais.

A forma como os pais educam seus filhos é essencial na promoção de comportamentos socialmente adequados. No entanto, com frequência, as famílias (sem perceber) acabam estimulando comportamentos inadequados por meio de disciplina inconsistente, pouca interação positiva com a criança, baixo monitoramento e supervisão insuficiente das atitudes da criança. Para promoverem comportamentos adequados em seus filhos, os pais necessitam ter habilidades sociais educativas, tais como expressar sentimentos e opiniões de maneira adequada, colaborar com a promoção da autoestima e auto confiança, incentivar a autonomia através de oportunidades e feedbacks positivos.

As famílias erram na educação dos filhos, tentando acertar… e se não fazem diferente é porque ainda não aprenderam. A medida que os pais são ensinados a observar e entender os comportamentos inadequados dos filhos e orientados sobre como agir, as mudanças são concretas e duradouras.

Nas sessões de orientação aos pais, na psicoterapia infantil ou no Treinamento de Pais, os comportamentos da criança e dos pais são o alvo da intervenção, pois os pais auxiliam o filho na aprendizagem de comportamentos mais adaptáveis e adequados ao meio em que vivem. Na psicoterapia infantil, tanto criança quanto os pais ou cuidadores são atendidos pelo profissional. Já no Treinamento de Pais (ou Orientação de Pais) somente os adultos participam. Em ambos, são ensinadas habilidades parentais essenciais para educar um filho de maneira eficaz e prazerosa.

O Treinamento de Pais é uma prática muito efetiva, que pode ser conduzida individual, em grupo ou no formato on line. A orientação da família implica em ensinar aos pais como agir diante dos comportamentos inadequados dos filhos e como ensinar e manter os comportamentos adequados, sempre buscando o desenvolvimento da autonomia, autoestima e auto confiança da criança. O Treinamento de Pais não é só para resolver somente uma situação específica, mas sim ensina o raciocínio da aprendizagem dos comportamentos e qual a melhor forma de agir. Em todo esse processo, deve haver comprometimento dos pais e disponibilidade para mudança.

Orientar a família na educação dos filhos também é uma forma de prevenir danos emocionais futuros. Nunca é tarde para mudar as condutas inadequadas de uma criança. Quando o responsável se percebe como parte importante de mudança do comportamento de uma criança, está dando a si próprio e a criança a chance de sentir-se melhor, mais feliz e em uma relação mais harmônica e prazerosa.

Quer fazer o treinamento de pais? Então se inscreva AQUI e tenho certeza que você aprenderá qual a melhor forma de agir na educação dos seus filhos!

Ana Paranzini é Psicóloga (CRP 08/09142), Mestre em Psicologia Clínica (PUCCAMP) e especialista em Orientação de Pais. Idealizadora do Programa on line ADEUS BIRRAS e do Programa on line de Orientação de Pais – Quando eu mudo… meu filho se transforma, que já ajudou e está ajudando muitas famílias a educarem seus filhos de maneira efetiva e prazerosa. Artigo originalmente publicado no portal da ABPMC – Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental

Comente pelo Facebook

Leia mais!