8.fev.2012

Relato de Parto do blog Mãe de Guri!

Tem coisas na vida que acontecem sem planos, sem grandes expectativas, e nos surpreendem, e foi assim com o blog! Já tive outro blog, chamado Namastê, que fiz quando morava em Floripa, para falar de mim, e manter contato com família e amigos. Ele não durou muito, hoje tenho certeza que não durou por não me envolver nesse mundo de verdade, por não ter trocas, não fazer amizades, eram pensamentos soltos, e quando não tive mais tempo para sentar e escrever, eles ficaram lá no cantinho guardados…
Em 2010, durante a licença maternidade, final da gravidez, passava horas lendo blogs de maternidade, parto e esse novo mundo que estava tomando conta de mim. Queria saber, aprender, eu buscava informação de mães para mães, sabem aquela conversa no sofá de sala. Era isso que gostava, que me encantava, me sentia dentro da casa da Mari, da Cris, e de tantas outras blogueiras que amo!
As minhas amigas “reais” viviam outras fases de vida, e comecei a sentir necessidade de conhecer mães, de ver que eu não era a única mãe panda, cansada, e de pijama as 3 da tarde. Eu queria compartilhar experiências, queria aprender, queria rir e chorar, queria fazer amigas. E foi quando resolvi fazer um blog para chamar de meu!
O blog já teve dois nomes, começou com o Mãe de Guri, depois mudou para o querido Eu me desenvolvo e evoluo com meu filho, e voltou as origens: Mãe de Guri.
Eu comecei pensando em fazer um diário para o Antônio, com a intenção de guardar todas as descobertas dele, as coisas que mãe coruja adora falar, e babar. Só que no meio do caminho eu vi que desabafar sobre os dilemas de mãe, de mulher, de filha era muito melhor que falar só do Antônio. E queria preservar um pouco ele, pois sabemos que tem muita exposição nos blogs, então por ele, e por mim, deixou de ser um diário.
Eu sei que não tem nada melhor do que falar do filho, e contar as novidades do moço para as amigas, mas sei que hoje em dia eu mudei, o blog mudou, gosto de falar sobre mim também, gosto de refletir sobre a maternidade, sobre como ser a melhor mãe para o guri. Fazer amigas, aprender, trocar dicas, e ainda ensinar alguma coisa a outra pessoa é muito bom! Gosto de saber as novidades de primeira mão, porque cá entre nós, as mães blogueiras são super atualizadas!
Esse tempo que estou na blogosfera materna me fez uma pessoa mais feliz, além de aprender sobre a maternidade, eu aprendo diariamente sobre mim. É muito bom compartilhas com vocês, aprender com os erros e acertos de outras mães, e poder compartilhar as minhas experiências também. Pois toda mãe erra, mas sempre tentando acertar.
Eu ganhei muitas amigas de verdade, que sabem antes da minha vida do que a minha família, tem parente meu que perguntou se eu ia me mudar, porque tinha lido no blog #abafa.Ganhei muitos sobrinhos do coração e afilhados, os quais adoro acompanhar desenvolvimento e façanhas.
Sem esperar tudo mudou, para muito melhor, sem esperar eu aprendo, eu ensino, pois acredito que a gente sempre tem muito a aprender, e um pouco a ensinar. Sem esperar eu me tornei uma mãe melhor, e consequentemente uma filha melhor!
E assim nasceu o blog, e nasceu uma blogueira de paixão, da vontade de compartilhar experiências, refletir, desabafar e fazer amigas, muitas amigas!
E você, como nasceu seu blog?


Conte para as gurias do Mamatraca também, que convocaram as mães blogueiras para essa Blogagem Coletiva!

Comente pelo Facebook

Leia mais!