27.ago.2013

A rotina com os avós!

avos

 

A participação dos avós na formação dos netos é muito importante. Os netos aprendem com a experiência de vida deles, que sempre têm boas histórias para contar, criando assim, um vínculo especial de momentos que não se perdem com o tempo. Momentos que ficam para sempre nas nossas memórias afetivas!

Tenho as melhores recordações da minha avó Amélia; uma avó de antigamente, que fazia tricô e biscoitos; uma avó amorosa, carinhosa, mas que sabia dar um puxão de orelha quando precisava. Também tenho a maior alegria (e sorte) de ainda poder conviver e aprender muito com meus avós maternos, que são as pessoas mais inteligentes, doces e amáveis do mundo!

Com uma experiência tão positiva, sempre desejei isso para o Antônio: que ele pudesse conviver com os avós tanto quanto eu, que tivesse lembranças boas, assim como eu tenho. Mas como meus pais moram em Brasília e nós moramos um tempo em Fortaleza, foi difícil criar esse vínculo. Ele era pequeno para entender a existência do vovô e da vovó que não estavam perto. Foram poucas as visitas dos avós a Fortaleza, mas sei que ficaram marcadas porque, durante um tempo, quando ele via uma pessoa de cabelos brancos, ele logo chamava de vovô ou de vovó!

Agora que voltamos para Porto Alegre, estamos tendo a oportunidade de conviver mais com os avós paternos do guri. Como faz bem! O tipo de carinho é diferente do carinho dos pais. Os estímulos e até o ambiente são outros e eu já percebo que ele está mais extrovertido, falante e feliz na presença dos avós.

Aos finais de semana vamos para o sítio do vovô e lá é diversão garantida. Ele acorda cedo, come frutas com a vovó e quer brincar com o vovô pelo campo. Até já plantou um bambu, e não esquece dos detalhes. Ele adora a comida do vovô e não quer saber de soneca durante a tarde, quer aproveitar todos os segundos ao máximo. Brinca com os cachorros, come fruta do pé, corre, pula, e à noitinha quer ajudar a vovó a fazer o fogo na lareira!

E o que dizer do privilégio de ter o nonno e a bisa? Ele adora os dois, que se divertem com as gracinhas que ele faz. Mas além do carinho que recebemos nas visitas semanais aos meus avós, o Antônio quando chega lá, vai direto ao quarto onde existe uma caixa com brinquedos que eram meus e dos meus primos. A minha vó os conserva e os bisnetos adoram brincar com eles. Parece que há uma magia naquela caixa, pois as crianças têm encanto por ela. É lindo viver este encontro com o passado.

Me sinto abençoada por ver essa relação do Antônio com a família. Hoje, com certeza ele é mais feliz!E por aí, mamis, como é a participação dos avós?

Beijos

maedeguri

naturamamaebebe

 

Comente pelo Facebook

Leia mais!