14.maio.2013

Saúde Auditiva { Fala, Fono! }



Olá, mamães!

Hoje falarei sobre a saúde auditiva, para que possamos ter mais cuidados com alterações e exposição a ruídos exagerados.


A audição é um sentido muito importante para o desenvolvimento da criança, tanto no nível motor como intelectual, envolvendo a correta produção da fala. É através da audição que podemos nos localizar no ambiente, ouvir a voz daqueles que amamos, fortalecendo o vínculo entre bebê e família desde antes do nascimento.

O bebê começa a escutar os sons externos à barriga de sua mãe, por volta do 5º mês de gestação, reconhecendo principalmente a voz materna, mas quando o papai chega em casa, ele logo inicia uma sessão de chutes, mostrando que sabe quem está por perto.
Através da audição as crianças começam a conhecer os sons em sua volta, enriquecendo seu desenvolvimento.


Desenvolvimento da Audição


Segue abaixo um esquema explicando como acontece o desenvolvimento da audição nos bebês, de acordo com a idade em meses:
Ao notar qualquer alteração na audição de seu filho, procure orientação médica, para que sejam feitos exames para o prévio diagnóstico e tratamento.

Fonte: www.clinicadefonoaudiologia.com.br

Mas, quais os problemas auditivos mais comuns?


Doenças como rubéola, sífilis, toxoplasmose, herpes, são doenças adquiridas durante o período gestacional, que poderão causar alterações auditivas no bebê.
Após o nascimento, síndromes de alteração genética, prematuridade, baixo peso, mal formação de cabeça e pescoço, otites de repetição, entre outras, também podem causar problemas de audição nos bebês.

Problemas auditivos podem causar atraso no desenvolvimento global da criança, trocas na fala, baixo rendimento escolar, baixa autoestima, falta de relacionamento entre amigos/ colegas, além de a criança começar a se isolar, escutar programas de televisão em um volume elevado, etc.

É muito importante que os pais fiquem atentos a sinais de diminuição da audição, pois é muito difícil reparar os danos.

Crianças com o hábito de escutar fones de ouvido devem obedecer ao nível do volume, não ultrapassando a metade do indicador de intensidade. A partir daí, os sons tornam-se prejudiciais às céluas do ouvido, trazendo desconforto, zumbido, ou até mesmo dores de ouvido e de cabeça!




Abraço,

Taís Alves Batschauer
Fonoaudióloga
CRFª 9309/RS
[email protected]

Comente pelo Facebook

Leia mais!