9.abr.2013

Seu filho gagueja? { Fala, Fono! }

 

Imagem do google

A gagueira é um distúrbio na fluência da fala, caracterizada por interrupções anormais no seu curso, de modo involuntário. Geralmente surge na infância, por volta dos 2 e 5 anos de idade. Seu aparecimento costuma ser gradual e é mais frequente em meninos do que em meninas. O aparecimento de gagueira é mais comum em famílias onde já existe um histórico de outras pessoas que gaguejam.

Caso seu filho esteja apresentando dificuldades para falar, hesitando ou repetindo determinadas sílabas, palavras ou frases, ele pode estar passando por um período de disfluência normal, em que muitas crianças enfrentam quando estão aprendendo a falar.

A disfluência normal pode aparecer no desenvolvimento normal da criança que ocasionalmente repete algumas vezes certas sílabas ou palavras, ou utiliza interjeições como “hã” e “hum”.

Normalmente essas disfluências são sinais de que a criança está aprendendo a utilizar a linguagem de maneira nova e permanecem nas idades entre 1 e 5 anos, indo e vindo.
Já a criança com gagueira, além de repetir mais vezes determinadas sílabas, apresenta sinais de tensão muscular, como piscar repetidas vezes, apertar as mãos, aumentar o tom de voz, etc.

A criança com gagueira pode apresentar bloqueios na fala, evitando de falar em público, se isolando dos outros, podendo, muitas vezes ficar deprimida.

É muito importante que a criança que apresenta esses tipos de alterações seja avaliada quanto antes, pois maiores são as chances do tratamento dar certo e a criança não precisar sofrer com “bullyng” na escola ou até mesmo dentro de casa.

Imagem do google



Algumas dicas para os pais:
* Dê o modelo correto: fale lentamente e articule as palavras de maneira a facilitar para a criança fazer o mesmo.
* Preste mais atenção no conteúdo da mensagem do que na quantidade de vezes com que a criança gagueja.
* Não deixe a criança perceber a preocupação com a gagueira.
* Não force a criança a falar quando ela não quer.
* Demonstre interesse na fala de seu filho: olhe para ele.
* Não termine frases pela criança.
* Aprecie as qualidades de seu filho.

Imagem do google

 

Abraço,
Taís Alves Batschauer
Fonoaudióloga CRFª 9309/RS
Porto Alegre, RS
email: [email protected]

Comente pelo Facebook

Leia mais!