21.jan.2013

Sobre as voltas que a vida dá

Sabem aquela música do Zeca Pagodinha, deixa a vida me levar, vida leva eu!? É o meu lema de vida! Sempre gostei de viajar, conhecer lugares, pessoas, novas culturas, comunidades. Logo que casei surgiu uma oportunidade de nos mudarmos de estado. Morávamos em Porto Alegre(RS) e a oportunidade era de morarmos em Florianópolis(SC). 


Por mais que seja uma ótima mudança para nós, pois amamos praia!Não foi nada fácil. Pois se mudar requer desprendimento. Deixamos a família, os amigos, antigos hábitos, objetos pessoais, tudo para trás. E temos que começar uma nova vida do zero!

Na cidade nova tivemos que encontrar uma casa para chamar de lar e deixar as coisas com a nossa cara. Além de fazer novos amigos, encontrar trabalho, uma padaria gostosa, academia, videolocadora… Eu sou canceriana, prezo as amizades sinceras e intensas, crio vínculos muito fácil, me entrego, sou amiga do porteiro, vizinhas, atendente da padaria, e quando sou amiga, sou amiga mesmo, ou sou, ou não sou.


Aos poucos Florianópolis foi se tornando nosso lar, é uma cidade maravilhosa, apaixonante. E pertinho de Porto Alegre, então íamos sempre que a saudade apertava, em torno de uma vez ao mês.  O que hoje em dia eu faria tuuudo diferente…pois gastamos muito, poderíamos ter viajado mais, conhecido lugares novos, mas sentíamos muitas saudades e íamos sem pensar!
Depois de três anos em Floripa, já gravida de 8 meses resolvemos voltar para Porto Alegre. O marido não estava mais trabalhando na empresa pela qual mudamos, eu não queria voltar ao meu trabalho, pois queria ser mãe em tempo integral. E voltamos para nosso aconchego, ter o Antônio perto dos nossos, viver perto da família e amigos.

Quando voltamos para Porto, pensei que nunca mais nos mudaríamos. Tínhamos sentido muitas saudades, mesmo fazendo novas amigas, a saudade das amigas da infância, as amigas da vida toda era muito grande. Porém surgiu uma oportunidade de evoluirmos, o marido foi promovido e teríamos que nos mudar para Fortaleza. 

Não pensamos duas vezes, pois uma promoção na empresa nova era tudo que queríamos e morar na praia, no nordeste, calor o ano todo, era um sonho realizado!

E cá estamos nós. Acredito que quando surge uma oportunidade de melhorar a qualidade de vida, melhorar o profissional, tem que ser avaliada. Depois de morar em Florianópolis e voltar a Porto Alegre aprendi que a vida de adulto, trabalho, filhos, nem sempre conseguimos encontrar os amigos que amamos. Eu percebi que via mais as minhas amigas quando eu morava em Floripa e as visitava em Porto Alegre do que quando eu morava em Porto mesmo, pois como estávamos perto acabávamos deixando para outro dia, quando via já tinha passado dois meses. Avalie o que essa oportunidade te acrescentará, tenha fé,  e deixe as portas abertas para voltares. Nenhuma mudança precisa ser definitiva. A família entenderá, os amigos de verdade estarão sempre torcendo por você mesmo longe. E muitas vezes estar perto fisicamente não é certeza de estar perto de verdade. Hoje em dia falo muito mais com algumas amigas do que quando estávamos pertinho…e tem sido ótimo. E hoje me sinto livre para voar, sempre que viajamos penso se moraria ou não naquele lugar, as vezes, penso na próxima mudança!

O post ficou enorme, e tenho muitas outras coisas a falar, então vou fazer em umas 3 partes, tá? Vou escrever sobre o lado bom e ruim e dicas para a mudança, aguardem!

Na nossa primeira casa, antes de mudarmos para Floripa!



Beijos, Angi


Comente pelo Facebook

Leia mais!