19.jun.2013

Sobre minha infância e o que espero para a infância do guri!

Gurias, como vocês sabem sou uma das Embaixadoras Fisher-Price, e nesse mês fizemos uma brincadeira entre nós,as embaixadoras, e a Bianca Guimarães do Test Drive Mami me perguntou: Você é bem moleca e parece ter sido bem levada e ter se divertido bastante quando criança. Consegue refletir isso na criação do Antônio?
Bem, eu tenho um irmão um pouco mais novo do que eu, então sempre brincamos muito. Minha infância foi muito boa, morávamos em casa, com pátio e vivíamos brincando na areia, na terra, na piscina de plástico, jogando vôlei entre os muros da vizinha. Foi uma infância onde não tinha tanta violência e eu quero poder proporcionar uma infância assim para o Antônio, mesmo ficando mais dentro de casa do que fora, pela segurança que não temos mais. Mas quero que ele brinque na terra, que suba em arvore, que possa comer fruta no pé… 
Sei que a minha infância foi muito diferente da do guri, mas desejo que ele brinque, que jogue bola na rua, ou na quadra do prédio, que tenha muitos animais de estimação, muitos amigos, que não tenha pressa de crescer, que seja criança! Quero que ele tenha uma infância feliz, que tenha boas lembranças e muito amor, pois é isso que ele vai lembrar, e não das coisas que teve, ou deixou de ter, esse foi meu maior aprendizado na infância!
Eu e meu avô!
Eu e minha mamis!
Meus irmãos lindos!
Meu papi, eu, o Chico(papagaio) e minha mana!
 
E a Teresa Ruas, consultora d Fisher-Price, deu a opinião dela como : Nossa… que relato mais contagiante! Fiquei aqui me lembrando da minha infância em Araxá, uma pequena cidade em MG. Como mãe e profissional eu sempre afirmei sobre a importância de proporcionar atividades/vivências concretas para as crianças. Pegar a fruta no pé e ver tirar o leite da vaca são vivências muito concretas e que proporcionam o aprendizado e a experiência no aqui e agora, despertando as mais diversas sensações nas crianças. É totalmente diferente, por exemplo, ver no aqui e agora a origem do leite que, após ser tirado, vai para a caixinha. A criança precisa destas experiências. Eu também resido em uma cidade grande e que não proporciona estas vivências. Porém, tenho a sorte de ter os meus pais e sogros no interior. Férias e finais de semana com certeza estaremos com eles para proporcionar estas vivências à Maitê Maria.    
Beijos
Angi

Comente pelo Facebook

Leia mais!