13.abr.2013

SUPERMÃES { Sobre o amadurecer da mãe }

Bom dia mamis, hoje é dia de SUPERMÃES, um dos quadros que mais gosto, pois nada melhor que conhecer outras mães, e se identificar com a histórias delas. E dessa vez é ainda melhor, pois admiro muito essa mãe, uma superamiga, a Marina, mãe do Theo e da Babi. Ela escreve o Blog Petitninos (que AMO)! E hoje fala das suas experiências como mãe, sobre seus aprendizados e seu amadurecimento! Um texto cheio de emoção e amor…espero que curtam!Obrigada pelo carinho Má, beijos, Angi


Marina, Theo e Babi, todos lindos de meu Deus!



” Olha, esse convite pra mim é mais que especial!! Primeiro, porque adoro a Angi, adoro o blog. Segundo, esse foi um dos blogs que me inspiraram a entrar para essa blogosfera materna.

Meus filhos vieram primeiro, o blog depois…mas quando descobri o Mãe de Guri, quis fazer algo parecido, surgiu a vontade de compartilhar todas as minhas realizações como mãe.

Supermãe?? Quem,eu?? Bom, isso me faz recordar.

Fui mãe aos 20 anos, uma gravidez inesperada. Um verdadeiro susto. A maternidade chegou pra mim no auge da imaturidade, sinceramente havia coisas no mundo que me interessavam muito mais do que aquela bebezinha rosa que não dormia e só chorava. Eu tinha muitos planos para quando terminasse a faculdade. Queria passar um bom tempo morando fora. Queria colocar o pé no mundo. Pra mim, naquela altura o máximo que tinha conseguido era enfiar o pé na Jaca.

Não parei a faculdade, estagiei e finalmente fui trabalhar. Tudo isso claro, graças ao super suporte de uma Superfamília,um Superpai e lógico…uma Superavó. Trabalhava muito e viajava demais, só via a Babi aos finais de semana.

O tempo passou e achei que eu não teria mais filhos. Vivemos por oito anos sem dramas ou traumas. Foi quando engravidei pela segunda vez. Confesso que na hora que soube, antes da alegria só pensava em começar tudo outra vez, já estava pronta na minha cabeça a ideia de que aos 40 eu já teria uma filha de 20, e aí sim eu poderia sem maiores preocupações realizar muitos dos sonhos e viagens que ficaram suspensos devido à gravidez inesperada.

Ok. Respirei fundo e me permiti fazer tudo diferente dessa vez, a vontade foi aparecendo aos poucos até decidirmos, em conjunto que eu pararia de trabalhar e viveria essa segunda gravidez de forma totalmente nova pra mim. Sem a famosa terceirização.
Não vi a Babi sentar pela primeira vez, não a vi andar, nem falar as primeiras palavras. Com o Theo me redimi de toda a minha ausência na infância da Babi e querem saber? Gostei!

Gostei tanto que o caçula só começou na escola quase aos três anos, mamou no peito o quanto quis, por mais de um ano e quatro meses. Posso dizer que vi dois lados da maternidade, vivi duas experiências completamente diferentes, e para mim as duas foram necessárias e aconteceram de acordo com a fase da vida que eu e meu marido atravessávamos.

Também sem dramas quanto ao fato de ter feito mais por um, ter vivido mais experiências com o outro. Só nos resta agora é conviver com a diferença de idade entre a prole… mas isso já é outro assunto!!

Ah, se me considero uma Supermãe?!Claro que hoje sim! Sou uma Supermãe, o melhor “super” que posso ser!

Obrigada pelo convite Angi, por me deixar compartilhar aqui na sua casa um pouquinho do que vivo e já vivi!! Adorei!!! “

Marina escreve no blog Petitninos, curtam a fanpage dela Petitninos!

Comente pelo Facebook

Leia mais!