20.maio.2015

Terror Noturno: entenda o que é

terror-noturno-infantil

Dormir é um hábito saudável e necessário para qualquer pessoa e com os bebês e crianças, a importância de dormir bem, não é diferente. Ao mantermos uma rotina de sono notamos que, em geral, os pequenos tendem a ficar tranquilos e a vida familiar como um todo fica melhor, não é mesmo, mamães? Basta lembrar as noites em que a criança dorme mal, para que muitos pais lembrem-se de como eles próprios se sentiram no dia seguinte, alguns estressados, outros cansados.

Mas, quando essa rotina passa a apresentar dificuldades e as crianças já não dormem tão bem assim? E quando meu filho tem muitos pesadelos? Bom, aí falamos de possíveis distúrbios do sono e o terror noturno é um tipo deles!

Ou seja, o terror noturno é classificado como uma parassonia (distúrbio do sono) que é mais comum em crianças. Apesar de não haver uma idade padrão, sabe-se que crianças entre 2 e 5 anos de idade podem apresentar terror noturno ou até antes mesmo de completarem 1 ano. Assim como a idade, a frequência dos eventos é de difícil precisão, já que uma criança pode ter dois eventos em uma semana e ficar um mês sem apresentar o problema e outra criança pode ter um episódio a cada dez dias, por exemplo.

Mas, afinal é a mesma coisa que pesadelo?

NÃO. A diferença entre o terror noturno e o pesadelo é que o pesadelo acontece durante a fase do sono conhecida como REM (sigla em inglês para movimento rápido dos olhos), que é quando sonhamos, além disso, depois de um pesadelo, a criança consegue ter ideia do motivo de estar assustada, conseguindo acordar e relatar o que sonhou. São comuns na população e na maioria dos casos, não precisam de um tratamento especifico. Porém, o terror noturno é um distúrbio caracterizado por episódios de pânico no decorrer da noite e a criança não acorda depois, assim como não se lembra deste episódio no outro dia. Sendo assim, necessita de tratamento adequado. A duração destes episódios varia de poucos minutos até mais de meia hora e, geralmente, a criança volta a dormir.

E quais são os sintomas?

Ao apresentar terror noturno, a criança pode manifestar os seguintes comportamentos: sentar-se na cama; gritar; ter expressão facial de medo; chutar ou se debater; apresentar suor em excesso; dificilmente acorda e ao acordar está confusa; choro; poderá ficar com os olhos abertos e olhar fixo, além de levantar-se da cama. E como ajudar meu filho nessa hora? Nessa hora, é necessário oferecer proteção, caso corra o risco de causar danos físicos a si mesmo e acompanhar o momento até que a criança se acalme e volte dormir. Não é recomendado acordá-la, mas é recomendado construir ou manter uma rotina de “ir dormir” e acordar com os pequenos.

Apesar de ser mesmo “assustador” para quem vê a criança em um episódio destes, é importante pensar sobre o que poderia gerar o terror noturno. A causa exata ainda é desconhecida, mas muitos fatores são relacionados ao problema, sendo importante os pais ficarem atentos a ROTINA e aos COMPORTAMENTOS dos filhos!

Vamos para alguns exemplos desses fatores: privação de sono; dormir em lugares que não são familiares; estresse; histórico familiar de distúrbios do sono; uso de determinadas medicações; cansaço extremo; apresentar a síndrome das pernas inquietas; problemas respiratórios, entre outros. Existem ainda estudos que apontam para uma imaturidade do sistema nervoso

Além disso, crianças que ficam cansadas demais têm maior tendência a passar por terror noturno, então vamos cuidar as agendas superlotadas de nossos filhos, assim como, crianças ansiosas e com algum quadro de humor deprimido. Mudanças em suas rotinas, como a chegada de um irmãozinho, doenças, alterações no padrão familiar, exigências em excesso podem desencadear o quadro.

É esperado que o terror noturno cesse espontaneamente quando a criança cresce, mas se seu filho apresentar prejuízos físicos e/ou emocionais é preciso buscar ajuda médica e psicológica, para que o distúrbio possa ser diagnosticado e tratado, diminuindo o sofrimento da criança e dos pais. E principalmente entendo os motivos individuais desse quadro. Atenção e amor ajudam a gente a dormir bem! 

Luiza Cantarelli Coradini
Psicóloga Clínica
CRP: 07/20819
Especialista em Psicoterapia da Infância e Adolescência

Email: [email protected], pergunte sobre o desconto para leitoras do Blog

Comente pelo Facebook

Leia mais!