3.fev.2012

Um reencontro especial!

A vida é feita de encontros e reencontros!

Encontros inesquecíveis, encontros que queremos esquecer. Encontros de mães com filhos, de filhos com mães. Encontro de familiares, de amigos, que são a família que podemos escolher. Encontros que duram segundos e ficam para sempre na memória.
Foi assim, uma tarde qualquer quando conheci o Lar do Idoso em Rosário do Sul-RS. Uma tarde fria, não lembro se estava nublada, mas quando conheci o Lar eu devo ter ficado com cara de quem comeu e não gostou.Era frio, escuro, e pensava que meus avós poderiam estar ali, meus pais, e eu no futuro, quem sabe?
As pessoas que vão para asilos já foram pais, hoje devem ser avós. E vocês pensam que foram pais ruins? Será que eles merecem estar ali, “abandonados” sim, sem uma visita dos filhos por semana, com suas poucas lembranças, e saudades. 
Foram 3 meses de trabalho voluntário no Lar dos Idosos, fazíamos brincadeiras, desenhos, alongamentos, conversávamos, e assistíamos novela…Ouvi muitas histórias, ouvi muitas lembranças. Coisas que para nós são comuns, mas que para eles são lembradas com brilho nos olhos, com frio na barriga, com saliva na boca, lembranças da família dos filhos, e de comidas, de pratos que as mães faziam, ou que elas mesmas preparavam, mas que hoje em dia não comem, nem podem preparar…
Eu sei, é a vida, a vida que segue, a vida que muitas vezes não escolhemos, mas temos que aceitar. Entendo que para muitos é a única opção, mas que tal visitas mais frequentes? É nesse momento que eles precisam dos filhos, aqueles que um dia fizeram tudo por eles não retribuem da mesma maneira, pela correria do dia a dia, em busca de ideal e dinheiro. Por isso faço questão de ir sempre que consigo, de fazer um pouco, porque o pouco para a gente pode ser muito para eles….
E nessas férias que tiramos, fomos para Rosário do Sul. Para rever a família que morei, os amigos que fiz, e os avós que eu ganhei. Cada vez que volto a cidade, eu quero muito ir no Lar, mas ao mesmo tempo tenho aquele medo, de alguma das avós não estar mais lá. Eu fico rezando, pedindo a Deus que todas estejam lá, com saúde, e felizes. 
Ao chegar sou reconhecida por várias, algumas são novas e começa um novo encontro. Claro que muitas não estão, e eu me seguro para não transbordar. Outras estão envelhecendo, usando muletas, e eu sofro, porque sei que um dia vou voltar e não estarão lá. Tem uma em especial que eu queria levar para casa, tem uma identificação a mais, é sempre um chororô nos encontros. Eu sempre curto muito estar lá, e quando vou embora, no último dia que sei que estou voltando para casa, nem gosto de dar tchau, sou canceriana, e sofro muito, e elas também.
Nesse último encontro foi muito especial, fizemos um café da tarde bem especial, com refri(elas amam), com torta de pêssego, nata, cerejas, e salgadinhos. Infelizmente não consegui arrecadar os produtos de higiene que queria levar para eles, mas quem sabe na próxima vez, ou quem sabe alguém dessa área lê o post e doa para o Lar uns sabonetes, shampoos, eles adoram!
Antônio foi comigo, e uma amiga super querida, a Ellen também fio,saímos no Jornal Gazeta, o jornal TOP da cidade!!


Eis algumas fotinhos do dia tão especial!!
Ficam saudades, lembranças e que venham muitos mais encontros no Lar dos Idosos de Rosário do Sul !!!!
Beijos







Comente pelo Facebook

Leia mais!