7.maio.2012

Vida cigana!

” Já que meu destino é tão incerto, que ele seja incerto num lugar bom…”

Essa música é um reggae maneiro que eu amo, e ouvi toda adolescência e tempo de faculdade. Sempre gostei de não ter rotina, nem no trabalho, nem na vida pessoal. Gosto de certezas na vida, isso eu gosto, mas gosto de estar aberta a novas possibilidades, viajar, conhecer outros lugares, pessoas, hábitos, enfim, sou cigana, e GOSTCHO!
Viajei durante a faculdade, fiz trabalho voluntário no interior do RS e no Canadá, foi o Projeto Rondon!Acho que muitas de vocês conhecem, um projeto onde fazemos trabalho voluntário em várias áreas, de saúde, educação, social. Eu trabalhei com idosos e portadores de necessidades especiais, posso dizer que sou outra pessoa depois dessa viagem, mudei muitas coisas em mim, conheci pessoas e lugares maravilhosos. E aprendi uma grande lição, que temos que aproveitar o momento, não reclamar de coisas que não estão muito boas, e sim fazermos o que pudermos para mudar a situação. Além de curtir,se abrir para aprender, pois tudo na vida é uma lição. 
Eis que conheci um cara lindo e muito especial, charmoso, amigo, muito inteligente (amor, é tu!).Namorei, casei, e nos mudamos a primeira vez, e depois a segunda, a terceira, a quarta, e estamos na quinta mudança… 
A primeira mudança foi mudança da casa dos nossos pais para nossa primeira casinha, morávamos nos fundos do trabalho do marido. Era quarto, sala, banheiro e cozinha, eu adorava, pequena, mas cheio daquele amor de recém casados, sabem?
A segunda vez que mudamos foi de um sonho de morar na praia e fugir do frio, surgiu uma oportunidade, e lá fomos nós para Florianópolis. Descobrimos as delícias de morar na praia, descobrimos que Florianópolis não é tão quente quanto pensávamos, e fomos vendo as diferenças culturais, de linguagem, isso que Floripa nem é tão longe de Porto Alegre. Nessa mudança levamos mala, cuia, cachorro, gato, foi uma mudança daquelas, mudança para ficar na história e não repetir nunca mais! 
A terceira mudança foi dentro de Floripa mesmo, nos mudamos de bairro (praia) , levamos tudo de novo, caixas, mais caixas, um caos total ao cubo, mas estávamos saindo de um apartamento, com cachorro e gato, para uma casinha, na beira do mar, de madeira, estilo que eu amo, com pátio, e tudo de bom, mesmo com o calor que só quem tem casa de madeira sabe.#OMG
A quarta foi quando voltamos para Porto Alegre, parir perto da família, morar com meu pai, voltar para a concha, para as raízes…senti uma vontade no final da gravidez. Eis que não tinha lugar para cachorro, o gato também não era super bem quisto, e tivemos que nos adaptar as regras do meu pai, da casa dele, foi difícil, mas já superei…ufa!
A quinta foi para Canoas, quando marido conseguiu um emprego melhor, e decidimos morar perto do trabalho dele para almoçarmos juntos, e evitar perder tempo no trânsito…levamos tudo e mais um pouco, a essa altura os cachorros estavam no sítio dos meus sogros, e o gato com uma prima querida, que se sentia tão só quanto o gato.#saudades
Ops, falei que estamos na quinta mudança, né? Que nada gente, estamos na sexta!
Agora viemos realmente fugir do frio, estamos em Fortaleza, cidade LINDA, povo bom, praias mais lindas ainda! Eu estou amando! Eis que depois de todas as mudanças, essa foi a MELHOR, claro que FORTALEZA É O MÁXIMO, mas não é só por isso…
Pela primeira vez não fizemos frete, não trouxemos nada, nem cama, nem T.V., somente roupas, nos desfizemos de TUDO, vendemos, doamos e viemos só com as roupas. Decidimos alugar algo mobiliado, para evitar o frete, o cansaço em desencaixotar tudo, e com guri pequeno é mais difícil, né?
A minha dica para ser feliz na mudança é essa, pensar se vale a pena levar tudo? Vender, doar o que não queres, o que não fará falta! 
É uma limpeza na ALMA….a gente fica mais leve. 
Eu fiz uma limpa em roupas que eu guardava pois um dia iria entrar de novo na minha calça 36, mas não dá, né? Se um dia eu usar 36 de novo, aí em compro uma calça, mas ficar guardando coisa que não se usa há mais de um ano não é necessário.
E assim que foi nossa mudança, viemos só de mala, chegamos no apartamento e só desfizemos as malas, colocamos as roupas no armário e pronto. Beleza, né?
E a minha vida cigana continua…será que vamos ficar por aqui muito tempo?
As minhas dicas para quem tem vida cigana é:
* Não comprar muitas tralhas, desde enfeites, a eletrodomésticos, pois muitas vezes você mora numa cidade que é 110V, daí muda para uma que é 220V, já viu, ou vai usar transformador em tudo, ou terá que vender, doar, enfim, e desvaloriza muito;
* Não ter animais de estimação, claro que se você já tem, e tem a possibilidade de levar é ótimo. Eu amo cachorro, estou louca por um, mas não dá, tem que ser realista, os planos é ficar um ano aqui, pois depois marido volta para outro projeto de trabalho, e aí como fica o cachorro? É uma decisão responsável e consciente, os animais duram em média 14 anos, e eles se apegam aos donos, então para evitar sofrimento eu não terei bicho de estimação;
* Pesquisar fretes caso leve os móveis, tem muita diferença de um para outro, e claro, procurar referências de quem já fez mudança com a empresa, fazer mudança com um caminhão que você viu a propaganda no sinal não dá, né?
* Se for vender as coisas a dica é fazer uma lista e oferecer para amigos, pois pagam melhor que nos brechós, e se não conseguir vender tudo com os amigos, vá nos brechós, e pesquise qual paga mais. Ah, e se o produto não valer muito a pena vender, doe porque é melhor doar roupas, por exemplo para quem precisa, do que vender uma sacola de roupas por R$30,00.
Sei que muitas leitoras querem saber como estamos, e imaginam que estou na correria da mudança, a verdade é que não estou. Estou sim me adaptando, pois é calor, enfim, mas estamos amando!Já conheci uma amiga blogueira, fomos no aniversário do Pedro, filho dela, e foi muito legal!
Ótima semana!!
Beijos
 

Comente pelo Facebook

Leia mais!