3.dez.2014

Voltar ao trabalho: é possível ser mãe e ter uma carreira bem sucedida?

voltar ao trabalho

Sim! É possível ser mãe e ter uma carreira bem sucedida, porém para participar da vida dos filhos e trabalhar, há de se ter em mente que não será possível fazer TUDO dentro de casa, o tempo todo. Isso significa que, em alguns momentos será preciso abrir mão de algumas coisas como, por exemplo, aceitar que é quase impossível trabalhar 40 horas na semana, frequentar todas as atividades extracurriculares dos filhos e ainda querer ter disposição para brincar com eles, ao final do dia.

Sabemos que a convivência da mãe com o bebê é importante, principalmente nos 6 primeiros meses, e uma das razões que contribuem para que as mãe se culpem por deixarem os filhos, é saber disto. Por isso, é preciso planejamento! Converse no seu trabalho, com o seu gerente sobre o tempo da licença maternidade, sobre como o trabalho ficará sem você e pense, em como você ficará sem o trabalho. Isso poderá  ajudá-la na hora de retornar às atividades profissionais.

Não tem jeito, essa etapa exige novas formas de organização da rotina e, em geral, quando o trabalho da mãe não tem muita relação com motivos econômicos, mas também com realização pessoal, as mães costumam ficar indecisas. A volta ao trabalho requer uma organização familiar, e frente a esta decisão é comum as mamães apresentarem sentimentos contraditórios, sendo muitas vezes, a culpa o mais referido.

Existem muitas situações para aquelas mamães que decidem continuar trabalhando depois de ter filhos. Há quem decida voltar mais cedo ao trabalho, e cabe pensar sobre com quem ficará o seu bebê, seja algum parente ou na creche, pois isso geralmente, dá a tranquilidade, permitindo que a mãe, desempenhe bem a sua função no trabalho. Tem aquelas que optam em retomar as atividades, mas com um ritmo menos acelerado, e então, conseguem equilibrar as horas de trabalho e desfrutar as horas em casa também. Há quem pare uns anos e dedique-se à maternidade, ou ainda, quem opte por abraçar o momento profissional e se dedicar em outros, aos filhos. Ou, as mães que preferirem deixar seu filho com outro adulto, antes de se ausentar, inclua essa outra pessoa na rotina de seu filho, assim ele vai se acostumando.

A questão é poder perceber o quanto de energia você tem para cada tarefa que quer realizar, e faça aquilo que PUDER fazer com o tempo que se tem! Normalmente, esta é uma fase e por isso, poderá ser repensada e mudada no futuro. É fundamental, ter em mente o que deseja incluir na sua vida, e priorizar cada item. Pode ser que queira buscar seu filho na escola em determinado horário ou, pode ser, que queira investir no trabalho para conseguir a tão sonhada promoção. Ter isso claro torna mais fácil diferenciar o que se pode “deixar de lado”, no momento.

Lidar com a culpa vai ser preciso, mãe!! A realidade é frustrante por não ser sempre do jeito que desejássemos que ela fosse. Não há fórmula para a vida em família, ela é mesmo, cheia de escolhas. Entenda, é melhor para o bebê uma mãe que se sinta bem e realizada, não importa sua decisão, nesse caso. Se a sua preocupação é com “deixar o filho”, saiba que a relação se fortalece quando as pessoas compartilham um período de tempo juntas, então, aproveite cada minutinho quando se dispuser a estar com o seu filho – a qualidade do encontro é tão importante quanto, a quantidade.

Nessa hora, o apoio do companheiro é de grande ajuda. Conversem, vejam quais as melhores opções para a vida de cada um e para a “vida” da família, talvez seu marido possa dividir as tarefas dos filhos com você (e isso, vale para pais separados também), esse tipo de atitude evita a sobrecarga da mãe.

Enfim,em qualquer decisão é importante considerar a realidade e não somente, as expectativas. Como toda a mudança, essa também implicará em paciência e em adaptação.

Luiza Cantarelli Coradini
Psicóloga Clínica
CRP: 07/20819

Especialista em Psicoterapia da Infância e Adolescência em formação Email: [email protected], pergunte sobre o desconto para leitoras do Blog.

Comente pelo Facebook

Leia mais!